Política

Tribunal de Nova York mantém Maluf na lista da Interpol

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Tribunal de Nova York mantém Maluf na lista da Interpol
fonte: Arquivo
Tribunal de Nova York mantém Maluf na lista da Interpol
continua após publicidade
O ex - prefeito de São Paulo, Paulo Maluf está na lista de procurados da Interpol há mais de dois anos. As acusações são fraude, roubo e lavagem de dinheiro. Os advogados de Maluf entraram com ação na Justiça americana para tentar tirar o nome dele da lista de procurados da Interpol. A ordem de prisão vale nos 188 países membros Interpol, a polícia internacional. A defesa de Maluf alegou que o ex-prefeito não cometeu crimes nos Estados Unidos. A Suprema Corte do Estado de Nova York, no entanto, entendeu que Maluf tem que ser julgado nos EUA, e, enquanto não se apresenta, vai continuar na condição de fugitivo da Justiça americana. Em Nova York, Maluf é acusado de movimentar contas bancárias ilegais com dólares desviados de obras públicas de São Paulo. Ele também responde por gastar dinheiro de corrupção com leilões de obras de arte. Acusações que somam 25 anos de cadeia em caso de condenação. A Suprema Corte diz que Maluf não colabora com as investigações. No Brasil, o deputado federal tem a lei ao lado dele, porque nenhum brasileiro nato pode ser extraditado. Caso saia do país por vontade própria, ele poderá ser preso.
Adílson Laranjeira, assessor de imprensa do deputado, disse que Maluf não tem conta no exterior e que não existe pedido para suspender a ordem internacional de prisão.