Política

Projeto que cria duas sessões por semana passa em segundo turno

Da Redação ·
 Projeto que cria duas sessões por semana passa em segundo turno
fonte: Divulgação
Projeto que cria duas sessões por semana passa em segundo turno

Foi aprovado nesta segunda-feira (23), em segundo turno, o projeto de emenda à Lei Orgânica que estabelece a realização de duas sessões ordinárias por semana na Câmara de Apucarana. De autoria dos vereadores Alcides Ramos Júnior (DEM) e Júnior da Femac (PDT), o projeto também recebeu a assinatura de outros vereadores e foi aprovado por unanimidade. Com isso, a Câmara deverá realizar, a partir de janeiro de 2013, uma sessão ordinária na segunda-feira e outra na quinta. “Isso vai representar um ganho enorme em termos de agilidade, dispensando inclusive a necessidade de se fazer tantas sessões extraordinárias. Hoje, um projeto chega a demorar cerca de 30 dias para tramitar e ser votado e isso poderá ser resolvido em dez dias”, afirma o presidente Alcides Ramos.

continua após publicidade

Ele também frisou que, com o projeto, a Câmara de Apucarana deixa de ser uma das poucas das cidades do mesmo porte a realizar sessão única na semana. “Nosso município cresceu, tem mais de 120 mil habitantes e necessita de um Legislativo mais forte e mais ágil”, assinala Alcides, destacando que também estão sendo regulamentados os horários de funcionamento das comissões permanentes.

continua após publicidade

O vereador Carmelo Ribeiro (PR) reafirmou que pretende propor emenda para que as duas sessões sejam realizadas imediatamente. Na sua opinião, os atuais vereadores devem dar o exemplo, tirando a lei do papel. Sua proposta teve o apoio de outros vereadores, como Aldivino Marques, o “Val”, do PSC. O presidente da Câmara disse que, se esta for a vontade da maioria, não vê motivos para que a lei não comece a vigorar desde já. “O que nós aprovamos é que as duas sessões semanais serão realizadas a partir de janeiro. Isso em si já é um avanço. Quanto a antecipar a realização das duas sessões, é tema que deixamos para a análise de todos os vereadores”, finaliza Alcides Ramos.