Política

Oposição defende CPI para investigar casos de corrupção

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Oposição defende CPI para investigar casos de corrupção
fonte:
Oposição defende CPI para investigar casos de corrupção

Parlamentares da oposição defenderam  a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)  para apurar esquemas de corrupção envolvendo licitações e compras em hospitais do país após uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, exibida no domingo (17) mostrou como as fraudes ocorrem.

continua após publicidade

O senador Álvaro Dias (PSDB) disse que começou a recolher na segunda-feira (19) as assinaturas necessárias para tentar abrir uma CPI mista sobre esquemas.

continua após publicidade

Para ele, a atitude dos empresários e gerentes demonstrada na reportagem é criminosa e indica que o problema da saúde pública no Brasil não é falta de dinheiro. “Precisamos urgentemente instalar uma CPI da Saúde no Congresso Nacional. Já tentamos, e quem sabe com estes fatos revelados agora no Fantástico conseguimos realizar uma CPI para que nós apresentemos um diagnóstico da realidade da saúde no Brasil”, disse.

continua após publicidade

Já o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro, disse que a reportagem mostrou a banalização da corrupção, de casos em que se rouba debochando do povo. Para ele, as empresas que aparecem na reportagem devem ser proibidas de ter negócios com o serviço público. Ele defende que o governo mude a forma de fazer licitações e a contratação de empresas deve ser mais transparente.

“Geralmente, três empresas são chamadas para emergência. Por que isso não pode ser feito sem envelope, pode ser feito por pregão eletrônico. Isso minaria esta relação pessoal e daria agilidade ao serviço público com seriedade”, afirmou.

continua após publicidade

MEC defende investigação
O Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, a quem os hospitais universitários estão subordinados, disse em nota que o MEC está a disposição da Universidade Federal do Rio de Janeiro para que as denúncias sejam investigadas e que a pasta está implantando a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, que vai uniformizar a administração dos hospitais universitários para compras e gestão de pessoal.

A adesão das 29 universidades federais que mantêm hospitais será voluntária.