Política

Produtores voltam a pressionar a Câmara contra penitenciária

Da Redação ·
 Produtores voltam a pressionar a Câmara contra penitenciária
fonte: Divulgação
Produtores voltam a pressionar a Câmara contra penitenciária

Proprietários rurais da região do distrito de São Domingos voltaram a se reunir na tarde desta sexta-feira (16) com o presidente da Câmara de Apucarana, Alcides Ramos Júnior (DEM), a fim de discutir o projeto para a construção de uma penitenciária na localidade. A reunião foi resultado de um pronunciamento feito pelo presidente, de que está se esgotando o prazo de 45 dias para que a Câmara vote a doação do terreno ao governo do Estado, conforme vem solicitando o prefeito João Carlos de Oliveira. Os proprietários voltaram a rechaçar a idéia da construção da penitenciária, afirmando que a região está recebendo investimentos na área de lazer e de fomento ao turismo rural.

continua após publicidade

Assim que recebeu o projeto, a Câmara recebeu uma comitiva da região, protestando contra a idéia da penitenciária. Alcides, depois de consultar os demais vereadores e levando em conta uma reunião com representantes da Secretaria de Estado da Justiça, retirou o projeto de pauta, por um prazo de quinze dias. “Solicitamos ao prefeito que indicasse outras áreas que não trouxessem tanto impacto. No entanto, em entrevista à imprensa, ele insiste que deve ser nesta região, devido a questões ambientais”, informou o presidente. Alcides frisou que a Câmara tem, por força do Regimento Interno, 45 dias para colocar o projeto em votação e que o prazo já está vencendo. “O projeto seguirá para votação na sessão do dia 26”, ressalta Alcides, lembrando ainda que o presidente pode incorrer em crime de responsabilidade caso não coloque o projeto na ordem do dia dentro do prazo legal.

continua após publicidade

A comitiva decidiu que voltará a se reunir com os vereadores na próxima segunda-feira (19), às 19h30. Para a maioria, não está sendo respeitado o que foi decidido em duas audiências públicas, quando várias entidades se posicionaram contra a vinda de uma penitenciária da forma como foi proposta. Eles também frisaram que a população ainda não está devidamente informada sobre os reflexos causados pela área escolhida. A comitiva frisa que o terreno, de 48 mil metros, adquirido pelo prefeito de Otávio Sachetta, está a dois quilômetros do Contorno Sul e a três quilômetros do Jardim Interlagos. “A população do Interlagos não deve estar nem sabendo da localização. A penitenciária vai ficar a três quilômetros da cidade, portanto praticamente dentro da área urbana, e a cinco quilômetros de São Domingos”, afirma o corretor de seguros Murilo Bastos.

Vários proprietários se mostraram contrariados com a situação. “Minha família chegou à região em 1936. Somos pioneiros. Agora vão fazer uma penitenciária ao lado da nossa propriedade sem conversar com a gente, sem nos ouvir em nada”, queixa-se o agricultor Jorge Koslyk. Os proprietários cobraram a presença dos demais vereadores. “De que adiantou tudo o que foi discutido? Eles agora querem fazer as coisas do jeito deles”, acrescentou Koslyk. Em reunião na Secretaria de Justiça, no mês passado, os vereadores foram informados de que o projeto para Apucarana é uma penitenciária para 800 pessoas. A unidade vai atender prioritariamente a região compreendida pela 17ª. Subdivisão Policial, onde hoje há 705 presos. A obra é orçada em R$ 18 milhões.