Política

Dilma defende verba para saúde, mas se diz contra CPMF 'como era'

Da Redação ·

A presidente Dilma Rousseff afirmou em entrevista para emissoras de rádio de Minas Gerais, que o Brasil vai precisar de mais investimentos na área de saúde. A presidente não comentou a possibilidade de criação de um novo imposto para financiar o setor. Na última quarta, o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que Dilma ainda não tem posição definida sobre a proposta de criação de um novo imposto, mas apontou isso como uma alternativa.

continua após publicidade

Nesta semana, a presidente afirmou que, caso o Congresso aprove mais gastos para a saúde, precisa dizer de onde sairá o dinheiro. Segundo ela, isso seria um "presente de grego".

continua após publicidade

A discussão sobre a criação de um novo imposto para financiar a saúde foi retomada por conta da Emenda 29, que fixa percentuais que devem ser investidos pela União, estados e municípios. O Congresso deve votar o tema no dia 28 de setembro.

Dilma Rousseff afirmou que "tem procurado reduzir impostos", que é contra a antiga CPMF por conta da forma com que os recursos eram utilizados, mas disse que é "demagogia" dizer que a saúde pode melhorar sem novos investimentos.