UEL faz homenagem a profissionais de saúde e pacientes - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Ensino Superior

UEL faz homenagem a profissionais de saúde e pacientes

Foto por Reprodução/AEN
Escrito por AEN
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Os 49 anos de atividades da Universidade Estadual de Londrina (UEL) foram comemorados nesta terça-feira (06) com o plantio da 49ª árvore símbolo da instituição, no bosque Perobal, localizado no campus, homenageando os profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate ao coronavírus e os pacientes que se recuperaram da doença após longo período de internação.

A cerimônia aconteceu véspera do aniversário da UEL, reunindo o reitor Sérgio Carvalho; a diretora administrativa do Hospital Universitário (HU/UEL), Daiane Cardoso, e a técnica de enfermagem, Maria Regina Pelegrini, que positivou Covid-19 em março e ficou internada por 73 dias, cerca de 30 deles na UTI. A cerimônia também contou com a participação do vice-reitor da UEL, Décio Sabbatini Barbosa, e da chefe da gabinete, Lisiane Freitas de Freitas, além de poucos servidores.

Segundo o reitor da UEL, Sérgio Carvalho, esse ano, em virtude da pandemia, a administração decidiu fazer uma celebração simples, com poucas pessoas, para garantir o distanciamento e a integridade física. Ele lembrou que a universidade existe para a vida e foi criada há quase meio século pela iniciativa de pioneiros que na época não faziam ideia da proporção que essa iniciativa tomaria. Hoje, a UEL é reconhecida entre as maiores do País, inclusive com inserção internacional em várias áreas do conhecimento.

O reitor lembrou que neste momento de busca de respostas para conter a pandemia, a universidade tem colaborado por meio do HU/UEL e de várias atividades. Ele reforçou que a prefeitura de Londrina, esferas governamentais e a sociedade civil fizeram doações e colaborações espontâneas como apoio ao atendimento de pacientes. “Hoje fazemos uma homenagem à vida, à existência da universidade que a sociedade criou”, definiu Sérgio Carvalho.

O vice-reitor Décio Sabbatini, que é professor do Centro de Ciências da Saúde (CCS) e plantonista do HU/UEL, lembrou que a árvore símbolo da instituição só consegue crescer a partir da sombra e da proteção das outras árvores. Ele comparou que o HU da UEL, da mesma forma, representa o apoio para que o paciente possa se recuperar e superar as adversidades. “Precisamos lembrar que é um trabalho de toda uma equipe, do mais humilde até o médico que prescreve o medicamento”, comparou.

A diretora administrativa, Daiane Cardoso, acrescentou que o HU, apesar dificuldades, conseguiu superar os obstáculos. Ela citou que o número de leitos saltou de 293 para mais de 450, nos últimos sete meses. Também foram realizados mais de 4 mil testes de pacientes com suspeita de coronavírus. “É um trabalho que tem valido muito. Todos estão fazendo de tudo para que o paciente se restabeleça. Estamos de pé ao lado de um time guerreiro”, afirmou a diretora.

RELATO – A técnica de enfermagem Maria Regina Pelegrini disse que recebeu o convite para participar da homenagem com alegria e esperança. Ela contou que sentiu os primeiros sintomas da Covid-19 no final de março. Procurou atendimento na UPA do Jardim Sabará, quando a estrutura ainda estava sendo montada, e foi transferida para o HU/UEL já com o diagnóstico da doença.

Ela permaneceu 32 dias na UTI, período em que precisou de intubação e de toda estrutura de equipamentos. A profissional classificou sua recuperação como um milagre. “Eu represento uma prova de que todos precisam se cuidar”, definiu Maria Regina.

Celebração dos 49 anos o do reconhecimento da UEL

Criada pelo Decreto nº 18.110, de 28 de janeiro de 1970, a Universidade Estadual de Londrina (UEL) celebra a data de seu reconhecimento pelo Ministério da Educação: 7 de outubro de 1971 – no ano que vem completará meio século.

A UEL nasceu da união de cinco faculdades, algumas existentes desde a década de 50. O projeto inicial uniu os vários professores e disciplinas dos cursos ofertados na época em departamentos, considerando áreas afins. Eles foram reunidos em Centros de Estudos, que hoje são nove e abrigam 52 cursos de graduação.

Desde 1987, o ensino é gratuito no nível de graduação. Foi transformada em autarquia pela Lei Estadual 9.663 de 16/07/91. Como autarquia, a instituição tem autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial em política educacional, mas é do Governo do Estado que vem a maior parte dos recursos que asseguram sua operação e manutenção. Os cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) também são gratuitos.

Somados os espaços do campus, Fazenda Escola e outros externos, a UEL chega a quase 2,3 milhões de metros quadrados.

A instituição tem como missão um compromisso com a gestão democrática e com a autonomia didático-científica plena, assim como com o desenvolvimento e a transformação social, econômica e cultural do Paraná e do Brasil.

Para isso, busca assegurar a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, a igualdade de condições de acesso e permanência estudantil, liberdade e respeito ao pluralismo de ideias, ao mesmo tempo em que tem como finalidade a produção e disseminação do conhecimento, formando cidadãos e profissionais com competência técnica e humanística.

As realizações da universidade aparecem em rankings internacionais. Em oito deles (2020-2021), referentes à América Latina, países emergentes (Brics) ou mesmo mundiais, a UEL se destaca. Aparece como a melhor estadual do Paraná, entre as estaduais brasileiras quase sempre é a quinta melhor e entre as públicas do Estado, é a primeira ou segunda em seis deles. Desponta também duas vezes entre as 90 melhores da América Latina.

São 13.226 alunos ativos na graduação, 78,48% originários do Paraná. Na pós-graduação, são 6.421 alunos divididos em 209 cursos. Há 49 Programas de mestrado e 32 de doutorado. 

A universidade conta com 3.859 servidores efetivos, dos quais 1.262 são docentes. Destes, 1.049 possuem título de doutor e 169 de mestre. Entre os 2.597 servidores técnico-administrativos, são 59 doutores e 150 mestres.

A UEL tem 1.970 projetos ou programas de ensino, pesquisa e extensão ativos, nos quais estão envolvidos 10.441 participantes, entre docentes (2.166), alunos de graduação (4.753), alunos de pós-graduação (2.441), 112 agentes universitários de nível superior e 90 de nível médio.

SERVIÇOS PARA A COMUNIDADE– Os Órgãos Suplementares e de Apoio da UEL registram número expressivo de atividades, segundo relatório 2020 da Pró-reitoria de Planejamento da UEL (Proplan). A Bebê Clínica, por exemplo, realizou 5.372 atendimentos e a Clínica Odontológica totalizou 119.384, mais 39.550 procedimentos extramuros (projetos).

A Fazenda Escola promoveu 12 eventos de extensão e a Clínica Psicológica fez 5.133 atendimentos individuais. O Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos abriu 2.564 novos casos, encerrou 2.121 e ajuizou 1.177 casos. O Hospital Universitário atendeu 127.153 pacientes e realizou 11.281 cirurgias. Já o Hospital Veterinário registrou 17.002 consultas e retornos e 1.626 cirurgias.

O Museu Padre Carlos Weiss promoveu 40 eventos culturais e recebeu 36.218 visitantes. A TV UEL produziu 400 matérias, das quais 300 são jornalísticas.

Entre os órgãos de apoio, a Biblioteca Central, que possui 172.583 títulos de livros, fez 325.671 empréstimos de material. O Serviço de Bem Estar à Comunidade contabilizou 3.001 atendimentos e procedimentos de Serviço Social e 5.042 atendimentos de Medicina do Trabalho.

Deixe seu comentário sobre: "UEL faz homenagem a profissionais de saúde e pacientes"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.