Paraná

Trator Solidário muda a vida de produtores de Barbosa Ferraz

Casal deixou a cafeicultura e agora produz trigo, milho e soja e comemora melhorias

Da Redação ·
O trator de Ângela Literoni e Everaldo Rodrigues trouxe novas perspectivas à família
fonte: IDR-Paraná
O trator de Ângela Literoni e Everaldo Rodrigues trouxe novas perspectivas à família

Há um ano, o casal de agricultores Ângela Literoni e Everaldo Rodrigues, de Barbosa Ferraz (Centro-Oeste), viram a vida mudar com a chegada de um novo trator na propriedade. O maquinário foi adquirido graças ao Programa Trator Solidário, do Governo do Estado.

continua após publicidade

Para o casal, a aquisição significou diminuir as despesas com a manutenção do maquinário, além de dar acesso a novas tecnologias, como o GPS, que torna mais racional a distribuição de insumos. Esses benefícios se somaram às vantagens oferecidas pelo programa como um valor 20% menor do que os valores de mercado, juros reduzidos e sete anos para pagar o maquinário.

Ângela e Everaldo trabalharam com a cafeicultura até 2015. No entanto, migraram para culturas anuais, acompanhando a tendência regional, e passaram a cultivar trigo, milho e soja em 30 hectares. Além da área própria, o casal também arrenda outros 20 hectares.

continua após publicidade

Depois de um ano com o novo trator, o trabalho na propriedade apresentou uma mudança gritante. Segundo Everaldo, hoje ele sabe que o maquinário não vai deixá-lo na mão no meio do serviço, já que não haverá quebra de peças e manutenções não programadas. Outra diferença sentida é a economia de diesel. “Fico pensando quanto já gastei por não estar com uma máquina nova, inclusive uma revisão foi feita semana passada e ele está novo de novo”, lembrou.

Outra percepção do agricultor é em relação à economia de aplicação de defensivos. Até um ano atrás a pulverização era feita em alguns pontos e de forma intuitiva, abrindo margem para problemas de produção. Hoje, Everaldo conta com o auxílio do GPS, eliminando o desperdício de insumos. As pulverizações não são feitas onde o trator passou anteriormente, pois o GPS indica os locais onde já houve a aplicação.

Além da questão econômica, o produtor destaca outras melhorias como o conforto. O antigo trator de Everaldo não tinha cabine, o que tornava o trabalho penoso, pois o produtor não tinha qualquer proteção contra o sol e a poeira. O fato do novo trator ser cabinado também protege o agricultor contra os defensivos agrícolas.

continua após publicidade

A partir da chegada do novo veículo, Everaldo ganhou mais autonomia nas atividades, pois antes ele pagava por serviços. “Agora não vou mais perder a janela de plantio, como ocorreu em outros momentos. A colheita é feita no ponto certo”, disse o produtor.

Como os juros do financiamento do trator são baixos, Everaldo disse que não vai ter dificuldade em pagá-lo e a aquisição foi uma conquista da família. “Até as crianças pularam de alegria quando o trator chegou, porque elas sabem que isso amanhã será delas. O trator também ajuda a manter os jovens firmes aqui, dando continuidade ao trabalho iniciado pelo meu pai, em 1968, quando veio de São João do Caiuá para plantar café em Barbosa Ferraz”, contou.

O produtor acredita que com trabalho e acesso a políticas públicas, coordenadas pela Seab e executadas pelos técnicos do IDR-Paraná, a família poderá concretizar os planos para o futuro. Everaldo quer progredir, ampliar suas atividades e promover a sucessão familiar. Para tanto, o melhor argumento é mostrar aos filhos que a propriedade rural é rentável e é deles. “Tudo isso planejado em cima de um trator, conseguido via Trator Solidário”, concluiu Everaldo.