Paraná

Torcedor pisoteado por cavalo da PM tem morte cerebral, diz delegado

O presidente da Torcida Fúria Independente, torcida do Paraná Clube, Mauro Machado Urbim, teve morte encefálica decretada nesta segunda-feira (1º)

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Mauro Machado Urbim, presidente da Torcida Fúria Independente
Mauro Machado Urbim, presidente da Torcida Fúria Independente

O presidente da Torcida Fúria Independente, torcida do Paraná Clube, Mauro Machado Urbim, teve morte encefálica decretada nesta segunda-feira (1º). A informação foi confirmada pelo delegado da Demafe, Luiz Carlos de Oliveira, em entrevista à Banda B. Urbim estava internado em estado grave há dois dias no Hospital do Trabalhador.

continua após publicidade

“Sim, nós tivemos esta informação lamentável de morte cerebral do Mauro, presidente da Fúria”, iniciou. “Nós temos a lamentar a morte de uma pessoa, torcedor do Paraná, uma pessoa que nós tínhamos o estreitamento muito grande. Nós iremos abrir o inquérito policial para ver as circunstâncias dos fatos acontecidos”, continuou Oliveira.

De acordo com a Fúria, o caso aconteceu depois do jogo entre Paraná Clube e FC Cascavel. O Tricolor venceu a Serpente nos pênaltis, na Vila Capanema, e avançou para as oitavas de final da Série D.

continua após publicidade

A torcida afirmou que não houve confusão e que a Polícia Militar agiu com “despreparo”.

“Sem qualquer necessidade, de forma truculenta e COVARDE a Polícia Militar, com o seu Regimento de Polícia Montada, pisoteou o nosso presidente Mauro Machado Urbim, que encontra-se hospitalizado em estado gravíssimo”, diz a nota.

Em relação a isso, a Demafe pretende investigar o que levou à abordagem da PM no intervalo do jogo na tarde do último sábado.

continua após publicidade

“Nós vamos investigar a lesão corporal com efeito morte. Isso não significa que vamos investigar o policiamento, o policial militar. Nós vamos investigar o efeito morte. Até porque existe ‘n’ possibilidades. Temos que fazer contato com o hospital, com testemunhas, tendo em vista que nós procuramos câmeras nas imediações e não é possível investigar ninguém. Posteriormente, também iremos ouvir os policiais militares”, disse o delegado.

Com informações da Banda B.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News