Paraná

Suspeito do triplo homicídio tinha problemas com familiares

O delegado explica quais os motivos que levaram a polícia ao suspeito.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Suspeito do triplo homicídio tinha problemas com familiares
fonte: GMC Online
Suspeito do triplo homicídio tinha problemas com familiares

O empresário Jean Michel de Souza foi preso em flagrante na noite desta segunda-feira (09), suspeito de triplo homicídio, por matar a esposa e os pais dela em Umuarama.

continua após publicidade

As três vítimas, que foram encontradas mortas dentro de casa, são a advogada Jaqueline Soares, 39 anos, (que era esposa de Jean), e os pais dela, Antônio Soares dos Santos, 65 anos, e Helena Maria Marra dos Santos, 59 anos.

Os três foram encontrados mortos pela funcionária da casa na manhã de segunda-feira, segundo a Polícia Militar (PM). 

continua após publicidade

Ao investigar o triplo homicídio, o delegado Gabriel Menezes explica que a Polícia Civil começou a receber informações de que o marido de uma das vítimas ele teria problemas com familiares.

Os policiais encontraram o empresário trabalhando normalmente na tarde desta segunda, mesmo depois de saber da morte da mulher e dos pais dela. Esse foi um dos fatos que levantaram suspeita explicou o delegado Gabriel Menezes.

“Ele estava trabalhando em uma loja aqui em Umuarama. A loja é de propriedade dele. Ele já sabia do crime e estava trabalhando normalmente, isso também causou estranheza para a polícia. Ele foi questionado sobre os fatos e informou, assim, de maneira bem simples, que não sabia de nada e continuou o atendimento a loja dele”, disse o delegado.

continua após publicidade

Os policiais então solicitaram que Jean fosse até a delegacia para dar mais informações. “A partir daí nós começamos a conversar com ele, identificamos uma divergência na narrativa dele quanto a horários que ele esteve na residência das vítimas”.

O delegado explica que após conversas com a mãe do suspeito e com autorização, foram realizadas diligências na casa dele. “Encontramos algumas manchas que pareciam ser de sangue próximo à lavanderia. Quando nós encontramos essas manchas nós acionamos a criminalística. Eles foram lá, colheram esse material, trouxeram para exame e confirmaram que se tratava de sangue”, acrescenta. “Ainda na residência dele nós também aprendemos um par de chinelos. O solado desse par de chinelo era combatível com as marcas encontradas na poça de sangue no local do crime”,

O delegado acrescenta que vestígios de sangue também foram encontrados no volante, no câmbio e na maçaneta do veículo do suspeito, que foi apreendido.

continua após publicidade

“Então diante de todos esses elementos das contradições dele quanto a sua localização, quanto ao horário e também aí por fim as perícia que confirmaram a presença do sangue no veículo dele, no chinelo que ele usava e na residência dele, nós vamos fazer a autuação dele em flagrante pela prática desse crime”.

Jean não morava com a mulher porque, segundo testemunhas, não se dava bem com os sogros.

“Nós colhemos depoimentos de testemunhas que confirmam que ele de fato é uma pessoa agressiva, de que ele tratava a esposa com agressividade, que ele já teve desentendimentos com a família a ponto de quebrar objeto dentro de casa, tanto é que ele era casado com uma das vítimas, mas se quer morava com ela, porque ele não tinha um bom relacionamento com os sogros. Então, todo esse conjunto de provas ele foi juntado num inquérito e agora vai ser lavrado o flagrante contra ele”.

Com informações: GMC Online

Tags relacionadas: #Crime #HOMICÍDIO #Umuarama