Paraná

Suspeito de passar a mão em criança se apresenta à polícia

Ele permaneceu em torno de 45 minutos na delegacia e depois foi liberado

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Suspeito de passar a mão em criança se apresenta à polícia
Suspeito de passar a mão em criança se apresenta à polícia

O homem, de 56 anos, que foi flagrado passando a mão no corpo de uma menina de oito anos em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, se apresentou à polícia na tarde desta quarta-feira (8). Ele permaneceu em torno de 45 minutos na delegacia e depois foi liberado.

continua após publicidade

O caso aconteceu na terça-feira (7), em uma loja no centro da cidade e foi registrado por câmeras de monitoramento do estabelecimento. A criança estava com a família no local.

Nas imagens, é possível ver o momento em que a vítima chega ao estabelecimento junto da mãe e dos avós para as compras de Natal. A gravação mostra a família observando os produtos e, em seguida, o homem chega e se aproxima. Quando a criança estava distraída com um brinquedo, ele passa a mão nela. A vítima fica sem reação, e ele a olha mais uma vez antes de caminhar e sair da loja. Veja: 

continua após publicidade

 Suspeito de passar a mão em criança se apresenta à polícia - Vídeo por: Reprodução  

A advogada Patrícia Mesquita, que defende o homem, afirmou que ele não teve nenhuma intenção com conotação sexual.

Além disso, a defesa informou que não pode dar mais explicações em razão do sigilo decretado sobre o inquérito.

continua após publicidade

Segundo a mãe, ainda na loja, a pequena contou o que havia acontecido.

"Ela ficou meio assim, meio em choque. Ela ficou meio sem reação, até, sabe? [...] Na hora que ela me falou, eu tremi muito. Tentei respirar e ir atrás", contou a mãe da vítima.

Importunação sexual pode causar traumas graves nas vítimas: 'sequelas emocionais', diz psicóloga'. A família fez um boletim de ocorrência, e a Polícia Civil abriu um inquérito para investigar o caso.

continua após publicidade

O autor do crime pode responder por estupro de vulnerável, crime com pena prevista de oito a 15 anos de prisão.

Com informações, G1