Mais lidas

    Paraná

    Cuidados

    Saúde promove ciclo de palestras sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis

    Saúde promove ciclo de palestras sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis
    Foto por Agência de Notícias do Paraná
    Escrito por Agência Estadual de Notícias do Paraná
    Publicado em 20.11.2020, 12:46:00 Editado em 20.11.2020, 12:46:25
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    A Secretaria de Estado da Saúde promove terça-feira da semana que vem, dia 24 de novembro, o evento online com o tema Protagonismo Juvenil: uma estratégia positiva. O encontro vai debater e sensibilizar o público sobre importância da prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A programação conta com palestras de diversos especialistas e pessoas engajadas ao tema.

    O debate tem como foco o Dia Mundial de Combate à AIDS, definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na década de 80 como dia 1º de dezembro. A transmissão do seminário será pelo youtube no dia 24 de novembro a partir das 9h. O link para: www.youtube.com/watch?v=u-v3EcJTI_k

    Para certificação é necessário realizar a inscrição. O formulário para inclusão dos dados por ser acessado  AQUI

    COMPARTILHAR - O encontro permitirá compartilhar conhecimentos, promover a discussão aprofundada sobre o tema e conscientizar sobre a importância da prevenção ao HIV/Aids, propondo mudanças no cenário atual e nas práticas sociais.

    O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, reforça a necessidade de discussão e atuação para a prevenção em relação às ISTs. “As doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids, são evitáveis com cuidados e proteção individual. É preciso que as pessoas se cuidem, fortaleçam a proteção, não espere que o outro leve o preservativo. E para quem é portador, cuide do seu próximo”.

    O evento promoverá discussão de práticas e atividades relacionadas ao dia a dia tanto de quem cuida da saúde, como profissional da área, como de quem tem alguma dessas infecções e segue a vida normalmente com o tratamento e cuidados para evitar a transmissão.

    A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti Lopes, destaca o trabalho de rotina da secretaria estadual. “Embora agora estejamos passando por um momento de pandemia pelo novo coronavírus, seguimos trabalhando e atendendo aos demais agravos, entre eles as ISTs. Foram realizados diversos encontros virtuais incentivando e consolidando estratégias de combate a estas infecções”.

    AÇÕES – Desde 2019, a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) foi incentivada e descentralizada tendo a abrangência ampliada para 198 municípios (49,6% do total do Paraná) que aderiram a esta estratégia de prevenção.

    A chefe da Divisão de Doenças Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis, Mara Carmen Ribeiro Franzoloso, explica que a PrEP é um método de prevenção ao HIV que foi ampliado para quase 50% dos municípios paranaenses. “Outra situação é a importância do diagnóstico precoce. Quando o teste for positivo para o vírus, é essencial o início e a adesão ao tratamento”, explica.

    Mara destaca que as ações em conjunto oportunizam melhores resultados. “Nenhuma estratégia de prevenção isolada é suficiente. É necessário que seja uma prevenção combinada que envolva o uso regular de preservativos, o diagnóstico oportuno e tratamento adequado de infecções sexualmente transmissíveis, imunizações, testagem para HIV, Sífilis e Hepatites Virais”.

    AUTOTESTES - A distribuição dos autotestes para diagnóstico do HIV permite o acesso a pessoas que, por algum motivo, não frequentam o serviço de saúde ou estão impossibilitadas de comparecer. O teste pode ser encontrado nos Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA, Serviços de Atendimento Especializado (SAE), Unidades de Saúde e ONGs. O autoteste de HIV permite que a pessoa colete sua própria amostra.

    AIDS atinge grupos de pessoas com diferentes características

    No período de 2010 até outubro de 2020, o Paraná registrou 15.864 pacientes com Aids, ou seja, que tratam a doença. Desde os primeiros casos, a Aids atinge grupos de pessoas com diferentes características. Inicialmente a infecção se concentrou em homens, depois teve o período em que a quantidade de casos predominante era em mulheres. Atualmente, o número de indivíduos que tem o vírus está na razão de uma mulher para cada dois homens.Em relação à faixa etária, os jovens e jovens adultos são os mais infectados, com 50% dos casos de indivíduos na faixa etária entre 20 e 39 anos. “Nosso alerta sobre isso é para todos, embora tenhamos os dados sobre a população que tem HIV, não há classe, cor, gênero que tenha propensão à doença, todo indivíduo pode se contaminar”, explica Maria Goretti da diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria da Saúde, Maria Goretti Lopes.

    Cuidado à gestante evita transmissão vertical

    O cuidado dedicado à gestante HIV é prioritário para eliminar a transmissão vertical do vírus. A transmissão vertical ocorre quando a mãe passa o HIV para o seu filho, durante a gestação, parto ou aleitamento.

    Toda gestante HIV recebe atendimento especializado na rede pública, acesso ao pré-natal de qualidade, desde o início da gestação até o encaminhamento para o atendimento de alto risco. Todas essas ações resultam no sucesso em proporcionar o nascimento de uma criança saudável.

    PARANÁ - O primeiro estado a receber a Certificação da Eliminação da Transmissão Vertical do HIV foi o Paraná em 2017, com o município de Curitiba. Em 2019 o município de Umuarama também recebeu esta certificação.

    Mais matérias de Paraná

    Deixe seu comentário sobre: "Saúde promove ciclo de palestras sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.