Paraná

Propriedade que permite adoção de árvores comemora 1 ano

Propriedade inovadora, que permite adoção de árvores em Londrina, comemora um ano com grande sucesso

Da Redação ·

Quando o produtor rural Paulo Acquarole pensou pela primeira vez no projeto, há cerca de 20 anos, nem mesmo a sua família achava viável a proposta: “Eles diziam que isso jamais poderia acontecer, que não tínhamos como divulgar as adoções, que não teríamos apelo para o mercado”. De fato, a ideia de mudar radicalmente a produção agrícola de sua fazenda e, em vez de produzir soja, milho, carne, café e outros produtos agrícolas altamente demandamos pela população global, usar essas áreas produtivas para plantar árvores nativas da Mata Atlântica, buscando gradativamente a mesma renda, era um grande desafio.

continua após publicidade

Como o passar dos anos, o projeto, que era apenas uma ideia na cabeça de Paulo Acquarole, foi maturando, tomando forma. Com o fortalecimento das mídias sociais, Paulo e o seu filho, o engenheiro agrônomo Guilherme Acquarole, decidiram então, em outubro de 2019, que o projeto iria sair do papel. Juntos, criam a plataforma Gaviãozinho Farm, nome global da até então Fazenda Gaviãozinho.

Desta forma, estruturaram toda a parte digital, loja on line, mídias de relacionamento, berçário das mudas, sistema de plantio, irrigação, preparo das áreas, equipe e, em outubro de 2020, oficialmente o projeto foi lançado através das plataformas digitais www.gaviaozinhofarm.com e Instagram @gaviaozinhofarm.

continua após publicidade

Hoje, um ano após o lançamento oficial do projeto, Paulo Acquarole avalia satisfeito tudo o que vem conseguindo realizar e olha para o futuro com muito otimismo e paixão em busca da consolidação dessa nova forma de produção agrícola: “Hoje, eu continuo trabalhando com a terra, aqui na fazenda, com o que eu gosto, o que eu amo. Porém, ao invés de produzir milho, soja, carne ou café, eu produzo ar puro, água cristalina e um futuro mais sustentável”, conta ele.

Em seu primeiro ano, o Projeto Gaviãozinho Farm já conta com a colaboração de 56 adotantes diferentes, que são os mantenedores de cada árvore. Para isso, pagam R$ 5,00 por mês pela adoção da árvore. Estes mantenedores estão espalhados por 5 países: Brasil, Reino Unido, Portugal, Colômbia e Estados Unidos. No Brasil, os adotantes se espalham por quatro estados: Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo e Paraíba.

“Ao todo, já são mais de 2.000 árvores plantadas e 903 árvores adotadas. Então, temos ainda árvores disponíveis para adoção em nosso banco e nosso objetivo é atingir, em 2022, pelo menos 4.000 árvores plantadas, com 2.500 adoções. Neste primeiro ano, além das várias pessoas físicas que aderiram ao nosso projeto e adotaram nossas árvores, tivemos parcerias importantes de várias empresas que acreditaram no nosso projeto”, analisa Paulo Acquarole.

continua após publicidade

Hoje, a fazenda tem capacidade para suportar em torno de 12.000 árvores e os planos futuros para os próximos cinco anos é a expansão para novas áreas, além da multiplicação do projeto para outros pequenos e médios agricultores brasileiros.

“Se estes agricultores virem que eu posso manter minha rentabilidade em minha propriedade vivendo da preservação ambiental como um negócio, tenho certeza que teremos diversos outros agricultores no Brasil e no mundo interessados em multiplicar a nossa iniciativa e viverem da produção de ar puro, água cristalina e um futuro mais sustentável”, finaliza o Paulo Acquarole.

SERVIÇO:

continua após publicidade

Para mais informações, acesse as plataformas da Gaviãozinho Farm, ou entre em contato:

www.gaviaozinhofarm.com

Instagram: @gaviaozinhofarm

Whats (43) 9 9644-6531