Paraná

Pré-candidato a deputado federal, Beto Richa defende ‘legado’; veja

O ex-governador Beto Richa (PSDB) está percorrendo municípios de todo Paraná para debater a situação do Estado e do País

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Pré-candidato a deputado federal, Beto Richa defende ‘legado’; veja
fonte: TNOnline

Pré-candidato a deputado federal, o ex-governador Beto Richa (PSDB) está percorrendo municípios de todo Paraná para debater a situação do Estado e do País em reuniões com lideranças regionais. Durante esses encontros, o tucano vem defendendo com vigor o seu “legado” à frente do Estado e também está rebatendo “sem constrangimento”, como faz questão de destacar, as denúncias enfrentadas por ele desde 2018, que chegaram a levá-lo à prisão e minaram a sua candidatura ao Senado. 

continua após publicidade

Durante passagem por Apucarana, ontem, Richa concedeu uma entrevista à Tribuna do Norte, onde enumerou as conquistas que considera “históricas” em seus dois governos – ele comandou o Paraná entre 1º de janeiro de 2011 e 6 de abril de 2018. 

“Tenho muito orgulho do legado que deixei nos quase oito anos que governei o Paraná. Os avanços ocorreram em todas áreas, sem exceção. Foram investimentos históricos, com avanços significativos, tanto econômicos quanto sociais, que são motivo de orgulho”, diz. 

continua após publicidade

Segundo Beto Richa, em sua gestão, o Paraná bateu recordes sucessivos em investimentos em infraestrutura e, mesmo com a entrega de inúmeras obras, deixou em caixa um saldo de R$ 7 bilhões. “Nesses convites que tenho recebido, todos reconhecem os avanços e os volumes expressivos de recursos aplicados em cada município”, cita. 

Em relação às denúncias que o levaram à prisão, ele diz não ter “nenhum constrangimento” em tratar do tema. Ele responde a processos por supostos desvios em construções e reformas de escola, fraudes na Receita Estadual e direcionamento de licitações na contratação de manutenção de estradas rurais. “Eu fui perseguido. Não existe meia prova contra mim. Qual é a justificativa para me sequestrar com a minha mulher, na minha casa, a 20 dias da eleição? Tudo está sendo esclarecido na Justiça”, assinala. O ex-governador considera que seu processo não foi jurídico, mas político. “O objetivo foi cassar a minha candidatura e foi o quê conseguiram”, diz. 

No entanto, ele assinala que não está voltando por “birra, desforra ou vingança”, apesar de ter sofrido uma “crueldade inominável”. Ele assinala que está retornando à política porque considera que “pode ajudar o Brasil nesse momento de turbulência”. “Não quero ser mais um entre os 513 deputados federais”, assinala, confirmando sua pré-candidatura à Câmara Federal. 

continua após publicidade

Em relação ao cenário estadual, ele diz que o PSDB deve confirmar candidatura própria com a indicação do nome do ex-prefeito de Guarapuva, Cesar Silvestri Filho. “Ele foi um grande prefeito de Guarapuava, muito bem avaliado. É um jovem político que tem muito a oferecer”, avalia. Confira a entrevista na integra:    null - Vídeo por: Reprodução