Paraná

Policial Militar mata 8 pessoas e tira a própria vida no Paraná

Entre as vítimas estão três filhos, a esposa, a mãe, o irmão e outras duas pessoas, que não tinham parentesco

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Um policial militar tirou a vida de oito pessoas, sendo seis de sua própria família, em Toledo, região oeste do Paraná, na madrugada desta sexta-feira (15). Logo em seguida o PM tirou a própria vida. Entre as vítimas estão três filhos, a esposa, a mãe, o irmão e outras duas pessoas, que não tinham parentesco. Fabiano Junior Garcia atuava no 19º BPM, lotado no município de Toledo. Estava na Polícia Militar desde 2010 e era tido pelos colegas como um cara “tranquilo”.

continua após publicidade

Segundo as informações do boletim de ocorrências, na noite de quinta-feira, 14, o policial matou a esposa Kassiele Moreira e a filha  na residência do casal. Em seguida, foi até a casa da mãe, Irene Garcia, onde a matou e também executou o irmão, Claudiomiro Garcia. Ao sair da residência, ele acabou matando dois pedestres, sendo o primeiro Kaio Felipe Siqueira da Silva, e o segundo, Luiz Carlos Becker.

Em seguida, o policial seguiu até o município de Céu Azul, onde outros dois filhos moravam com os tios, executando o menino de 4 anos e a menina de 9 anos.

continua após publicidade

Após matar as oito pessoas, Fabiano voltou para a casa onde morava com a esposa, local que já estava tomado de policiais. Ele estacionou o carro e, em seguida, teria atirado contra a própria cabeça, se suicidando.

Ao ver a aproximação do carro, as equipes que estavam no local atiraram contra o radiador e o pneu para inviabilizar uma fuga, mas quando se aproximaram, encontraram Fabiano morto. O corpo foi recolhido para exames de necropsia no IML de Toledo.

Foram apreendidos, além do carro, munições, carregadores, uma faca e a arma funcional do policial. As informações são de que a mãe foi morta com facadas, diferente das demais vítimas que foram executadas com tiros à queima-roupa.

continua após publicidade

Em nota, o comando do 19º BPM de Toledo afirmou que o militar não apresentava histórico de problemas psicológicos:

"A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo-PR e Céu Azul-PR. O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico de problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade. Desde dezembro de 2020 a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico aos militares, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares", diz a nota.

Ainda não se sabe se o policial teve um surto psicótico ou algum outro problema psiquiátrico. Não há informações do que motivou a chacina.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News