Policiais interrompem festa clandestina em Colombo - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Aglomeração

Foto por
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Na noite de quinta-feira (18), a Policia Militar e a Guarda Municipal interromperam uma festa clandestina na cidade de Colombo, região metropolitana de Curitiba. 

A festa ocorreria em uma casa noturna da cidade, na rua Abel Scuissiato e deveria receber aproximadamente 100 pessoas, no estabelecimento com capacidade para 300 pessoas.

Mesmo com o decreto da prefeitura da cidade de Colombo proibindo esse tipo de aglomeração para evitar a disseminação da covid-19, o estabelecimento receberia um show sertanejo.

Ao chegar no local, os agentes precisaram dispersar cerca de 20 pessoas que já estavam no local e aguardavam o início da festa. 

A coordenadora da vigilância sanitária de Colombo, Isabelle de Brito, informou a policia que a festa havia sido confirmada nas redes sociais. O evento era divulgado com a imagem da dupla sertaneja que faria o show, havia uma limitação de 100 convidados, o valor de R$ 5 por pessoa e o horário da festa.

Ainda em depoimento, Isabelle de Brito, relatou que o dono da casa noturna alegou que estava aberto apenas para a venda de espetinhos e que desconhecia o evento, porém a coordenadora da vigilância sanitária levou o convite da festa impresso como prova.

O dono do estabelecimento já havia recebido uma notificação da prefeitura antes, porém descumpriu as regras e abriu a casa noturna.

Caso haja reincidência, o empresário poderá responder administrativamente.

Deixe seu comentário sobre: "Policiais interrompem festa clandestina em Colombo"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.