Polícia inicia investigações para prender assassinos de PM londrinense - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Policial

Polícia inicia investigações para prender assassinos de PM londrinense

Foto por Fernando Lopes
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Nesta terça-feira (15), a Polícia Militar de Londrina inicia as investigações para capturar os assassinos do PM Bruno Felipe Monteiro do Prado, de 32 anos. O policial foi morto na noite desta segunda-feira (14), em Londrina.

Uma nota emitida pela 4ª Companhia Independente da Polícia Militar (4ª CIPM) diz que estão em busca de justiça, onde fazem investigações para identificar e prender todos os criminosos envolvido no assassinato.

Major Marcos Tordoro, comandante da 4ª CIPM, assinou o comunicado.

"O comando e os policiais militares da 4° CIPM lamentam a morte do policial militar, Soldado Bruno Felipe Monteiro do Prado, que foi covardemente assassinado na noite desta segunda-feira(14).O policial foi alvo de diversos disparos de arma de fogo realizados por bandidos que o seguiram na via pública.Nós nos solidarizamos com a dor da família e lamentamos o triste episódio.A família 4° CIPM une-se a família enlutada neste momento de profunda dor, na certeza de que Deus, com sua infinita misericórdia, há de mostrar o caminho do alento e conformação.Buscamos a justiça e estamos diligenciando  para a identificação e a prisão de todos os criminosos envolvidos neste crime".

Com informações; Tarobá News.

Deixe seu comentário sobre: "Polícia inicia investigações para prender assassinos de PM londrinense"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Todos os candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.