Paraná

Polícia Civil muda delegada para investigar morte de GM em Foz

Marcelo Arruda foi baleado durante a festa em que ele comemorava seus 50 anos

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Marcelo comemorava seus 50 anos quando foi baleado
fonte: Arquivo pessoal
Marcelo comemorava seus 50 anos quando foi baleado

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp/PR) anunciou nesta segunda-feira a troca no comando das investigações sobre o assassinato do guarda municipal e tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, Marcelo Arruda. As investigações estão agora sob responsabilidade da chefe da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Paraná, Camila Cecconello.

continua após publicidade

Marcelo Arruda foi baleado na noite de sábado (09), durante a festa em que ele comemorava seus 50 anos. Segundo a Polícia Civil, os disparos foram feitos por um policial penal federal, Jorge Guaranho, que é declarado apoiador do presidente Bolsonaro e das pautas defendidas pelo governo federal. A festa de aniversário de Marcelo Arruda, que foi candidato a vice-prefeito em Foz nas eleições passadas, era temática, com as cores do partido e imagens do ex-presidente Lula.

Na manhã desta segunda-feira (I11), havia circulado a informação de que o Partido dos Trabalhadores iria pedir a federalização das investigações sobre o ocorrido, após denúncias de que a delegada de Foz do Iguaçu designada para o caso, Iane Cardoso, tinha uma série de postagens antipetistas em suas redes sociais, desde 2016. Iane Cardoso é a delegada da divisão de homicídios em Foz do Iguaçu e já atuou na 17ª Subdivisão Policial, em Apucarana. 

continua após publicidade

A delegada chefe da divisão de homicídios da Polícia Civil do Paraná, Camila Cecconello chegou a Foz do Iguaçu na manhã desta segunda-feira (11) e, em contato com a imprensa, afirmou que uma equipe de investigadores de Curitiba havia sido enviada para reforçar os trabalhos e acelerar a investigação.

Veja o vídeo (Atenção! Imagens fortes)

null - Vídeo por: tnonline  

continua após publicidade

Durante todo o domingo circularam versões do vídeo do sistema de monitoramento do salão de festas onde Marcelo Arruda comemorava seus 50 anos com amigos e familiares. No vídeo, Jorge Guaranho invade o local e atira no guarda municipal que, mesmo no chão, reage e atira no agressor, acertando-o.

As imagens mostram que o líder petista, que também era diretor do Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu, já havia sido atingido e cai no chão, entre as mesas do salão. O agressor vai até ele e faz novo disparo, quando uma mulher entra em cena e empurra o policial penal, na tentativa de impedir novos disparos. Enquanto isso, Marcelo consegue, mesmo no chão, fazer vários disparos, acertando o policial bolsonarista.

O boletim de ocorrência da polícia informa Guaranho chegou no local de carro e que no veículo estavam também uma mulher e um bebê. Segundo o documento, ele teria descido do carro, com uma arma na mão e gritado “Aqui é Bolsonaro”. Conforme o documento da polícia, o policial penal não era conhecido de ninguém que estava na festa, entre os convidados de Marcelo Arruda. O agente penitenciário teria deixado o local e voltando alguns minutos mais tarde, já sozinho, quando invadiu o salão e fez os disparos contra Arruda.

Com informações do G1

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News