Paraná

Paraná tem 10 casos confirmados de Monkeypox; saiba mais

Conhecida como varíola dos macacos, é uma doença viral e a transmissão ocorre por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Há outros 11 casos em investigação nos municípios de Curitiba (7), Foz do Iguaçu (1), Londrina (1) e Maringá (1)
fonte: Sesa
Há outros 11 casos em investigação nos municípios de Curitiba (7), Foz do Iguaçu (1), Londrina (1) e Maringá (1)

A Secretaria da Saúde do Estado do Paraná confirmou nesta segunda-feira (18) mais quatro casos de Monkeypox, conhecida popularmente como varíola dos macacos, em Curitiba. Os pacientes são homens com idades entre 25 e 38 anos e possuem histórico de viagem ou contato com caso confirmado.

continua após publicidade

Agora, com outros quatro casos das semanas anteriores e os dois casos confirmados no começo do mês, o Paraná soma 10 diagnósticos positivos para a doença, todos registrados na Capital.

Há outros 11 casos em investigação nos municípios de Curitiba (7), Foz do Iguaçu (1), Londrina (1) e Maringá (1), além de um caso de um residente do estado de São Paulo que está em tratamento médico na cidade de Umuarama.

continua após publicidade

O Paraná já descartou nove casos nas cidades de Campina Grande do Sul (1), Cascavel (1), Curitiba (3), Maringá (1), Pinhais (1), Ponta Grossa (1) e São José dos Pinhais (1).

As amostras de todos os pacientes foram coletadas e encaminhadas para o Laboratório Central do Estado (Lacen/PR), responsável pela articulação com o Ministério da Saúde para envio ao Laboratório de referência para casos desta doença, em São Paulo.

A varíola do macaco é uma doença viral e a transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas. A infecção causa erupções que geralmente se desenvolvem pelo rosto e depois se espalham para outras partes do corpo. Os principais sintomas, além das lesões na pele, envolvem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfadenopatia, calafrios e fadiga.

continua após publicidade


Fonte: Secretaria de Estado da Saúde.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News