Paraná

Paraná monitora variante indiana mais letal da Covid

O Ministério da Saúde chegou a emitir um alerta aos três estados da região Sul

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Paraná monitora variante indiana mais letal da Covid
Paraná monitora variante indiana mais letal da Covid

A possibilidade da chegada da nova variante, B.1617, identificada inicialmente na Índia., preocupa o Governo do Paraná. O Ministério da Saúde chegou a emitir um alerta aos três estados da região Sul – Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

continua após publicidade

Após a identificação de pacientes com Covid-19, causada pela mutação, na Argentina, o Ministério e o Governo do Paraná monitoram os casos.

Segundo o governador do Paraná, o estado já adota vários protocolos para evitar a propagação acelerada da doença. “A Secretaria de Saúde, obviamente, está monitorando. Ontem eu tive uma reunião com o secretário Beto Preto, até porque existe uma preocupação com a variante argentina e nós fazemos fronteira. A fronteira está fechada tanto para a entrada aqui, quanto lá, mas estamos vigilantes, torcendo para que as cepas não se propaguem por aqui como a amazônica”, disse Ratinho Júnior. 

continua após publicidade

O aviso do Ministério chamou atenção para o fato dos três estados fazerem fronteira com o país vizinho. Na quinta-feira (20), o Maranhão confirmou os primeiros casos da variante indiana no Brasil.

A mutação é uma das grandes preocupações da saúde mundial, porque pode estar por trás da explosão de casos e óbitos por Covid-19 na Índia. 

Variante indiana

continua após publicidade

A variante indiana B.1.617 possui três versões, com pequenas diferenças (B.1.617.1, B.1.617.2 e B.1.617.3), descobertas entre outubro e dezembro de 2020. As três versões apresentam mutações importantes nos genes que codificam a espícula, a proteína que fica na superfície do vírus e é responsável por conectar-se aos receptores das células humanas e dar início à infecção.

Entre as alterações, uma se destaca: E484Q tem algumas similaridades com a E484K, alteração encontrada nas outras três variantes de preocupação global. São elas: a B.1.1.7 (Reino Unido), a B.1.351 (África do Sul) e a P.1 (Brasil, inicialmente detectada em Manaus).

Até o momento, cientistas ainda não conseguiram estabelecer sobre a variante indiana:

continua após publicidade

A sua real velocidade de transmissão e se ela é mais transmissível

Se a variante está relacionada a quadros de Covid-19 mais graves, que exigem internação e entubação. 

O quanto as mudanças genéticas interferem na eficácia das vacinas já disponíveis

Por que a variante descoberta na Índia preocupa o Brasil e o mundo?