Paraná

Paraná é pioneiro em inspeção de segurança com cães de faro

Os animais são treinados para detectar todos os tipos de entorpecentes: ecstasy, LSD, haxixe, maconha, crack e cocaína

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Paraná é pioneiro em inspeção de segurança com cães de faro
fonte: Juliano Pedrozo/Portos do Paraná

Na noite desta quarta-feira (02), aconteceu uma blitz de combate às drogas no cais público do Porto de Paranaguá, no estado do Paraná, onde três cães de faro (um pastor alemão e duas pastoras belga malinois) participaram. A ação foi coordenada pela Unidade Administrativa de Segurança Portuária (UASP – Guarda Portuária), com foco nos veículos que acessam a faixa primária, bolsas e mochilas de trabalhadores e motoristas.

continua após publicidade

As vistorias acontecem de forma aleatória, sem aviso prévio, e têm o objetivo de combater o tráfico internacional de drogas. As operações se somam aos esforços da Polícia Federal, que atua com frequência na área privada do Terminal de Contêineres.

“A intenção é aumentar a segurança e coibir a atividade criminosa”, explica o presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

continua após publicidade

Os animais são treinados para detectar todos os tipos de entorpecentes: ecstasy, LSD, haxixe, maconha, crack e cocaína.

Segundo o major César Kamakawa, chefe da UASP, as revistas são feitas, principalmente, durante a troca de turno dos trabalhadores. “O foco é na entrada de pequenas quantidades de drogas, que se somam e podem resultar em grandes quantidades. A intenção é coibir o uso da estrutura para acesso ao Terminal de Contêineres e posterior embarque clandestino nos navios”, conta. 

Outra preocupação é com o uso pessoal de entorpecentes, que afeta diretamente a segurança na faixa primária. “Se a quantidade constatada for para uso, o encaminhamento é feito para a Polícia Militar. Caso configure tráfico internacional, acionamos a Polícia e Receita Federal, por se tratar de área alfandegada”, destaca o coordenador de Informações, Eduardo Domanski dos Santos.

continua após publicidade

As operações com cães farejadores pela autoridade portuária começaram no final de 2021. Nenhum outro porto no Brasil tem cães que atuam para a Guarda Portuária para complementar os serviços já prestados no controle de acesso de veículos e trabalhadores. 


Fonte: Agência Estadual de Notícias.