Paraná

Morador de Maringá é dono de celular citado em hit de Gusttavo Lima

"As pessoas me ligam e eu já atendo dizendo: embaixador, então elas já se divertem", afirma

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Um trecho da música ‘Bloqueado’, do cantor Gusttavo Lima, causou uma reviravolta na vida de Eduardo Gomes
fonte: GMC Online
Um trecho da música ‘Bloqueado’, do cantor Gusttavo Lima, causou uma reviravolta na vida de Eduardo Gomes

Um trecho da música ‘Bloqueado’, do cantor Gusttavo Lima, causou uma reviravolta na vida do morador de Maringá, Eduardo Gomes, ajudante de eletricista, de 37 anos. Tudo por conta do número de telefone celular, que, citado na música sem DDD, fez com que várias pessoas de outros lugares do Brasil começassem a passar pela mesma situação. A reportagem é do portal GMConline.

continua após publicidade

"Me bateu uma saudade

Daquelas que o coração arde

continua após publicidade

9912-5003

Olha eu recaindo outra vez", diz a música.

Quando Eduardo comprou a linha, em fevereiro deste ano, ainda nem sabia da existência da música, lançada em agosto de 2021. O clipe de "Bloqueado" já alcançou mais de 190 milhões de visualizações no YouTube.

continua após publicidade

Comecei a receber bastante ligações e não sabia o porque ainda. Eu falava alô e as pessoas desligavam, até que um dia eu pedi para um rapaz esperar um pouco e ele me falou o porque e daí eu fiquei contente e foi quando eu comecei a fazer a brincadeira de ser o embaixador e as pessoas passaram a rirem e se divertirem”, conta o ‘dono’ do celular de Gusttavo Lima à reportagem.

Eduardo conta que tem dias que recebe muitas ligações. Em outros, menos. Mas no fim de semana “é de praxe, recebo bastante”, conta.

"Quando as pessoas perguntam “É o Gusttavo Lima?”, eu respondo: “Não, é o Gusttavo xing ling, é o falsificado”, brinca.

continua após publicidade

E as ligações surgem de diversos lugares do Brasil. As pessoas ligam do Mato Grosso, São Paulo, Minas Gerais, Paraná.

Alguns códigos eu não conheço. As pessoas me ligam e eu já atendo com a palavra embaixador, então elas já se divertem. Eu já sei que me ligam por isso. Quem não tem meu número geralmente não me liga por outra questão”, diz Eduardo.

continua após publicidade

Sobre o que a família acha dessa história inusitada, ele conta que está tudo bem.

Já me perguntaram se eu sou casado, se pode ficar falando comigo, se a minha mulher não se importa, e eu falo que não se importa, porque eu tenho bastante respeito pelas pessoas”, esclarece.

Caso de polícia

continua após publicidade

Eduardo gosta das músicas de Gusttavo Lima, apesar de não ouvir muito. Mas diz que admira o artista e sua maneira de ser. O morador de Maringá conta que já chegou a ouvir das pessoas que deveria processar o cantor por ter o número de celular citado em uma música dele, mas que essa nunca foi uma opção.

“Já pensei em me desfazer do número, mas eu vou jogar o problema, que para para mim não é um problema, mas vou jogar nas costas de uma outra pessoa, de um oportunista. Se eu processasse ele, ainda que eu ganhasse a causa, seria como se eu tivesse roubando”.

Mas enquanto ele leva com bom humor o fato de ter o número de telefone citado na música de Gusttavo Lima, outras pessoas que compartilham do mesmo número não gostaram nada da história e chegaram a processar o cantor. Uma arquiteta pediu que ele retirasse a música das plataformas digitais e lhe pagasse uma indenização de R$ 105 mil, por sofrer com trotes e importunações. O processo tramitou na 24ª Vara Cível desde dezembro do ano passado e em fevereiro deste ano, em liminar, a Justiça de São Paulo decidiu que o cantor não precisaria tirar a música do ar.

Ela alegou, que o cantor postou um vídeo no Instagram incitando os fãs a ligarem para descobrir quem é o titular do referido número de celular. No entanto, a juíza entendeu que o número citado não tem o DDD nem o dígito 9 no início. Na liminar, a juíza também observou que mulher entrou com um pedido de tutela de urgência para acabar com a exibição, reprodução e veiculação por qualquer meio da música “Bloqueado”, “sem que seja suprimido o número do telefone celular da autora ou substituído por qualquer outra expressão que com ela não guarde nenhuma relação”. Contudo, a magistrada entendeu que o possível dano sofrido pela mulher já está consolidado, pois a música já é conhecida e foi disponibilizada a milhões de pessoas e a mulher não deixaria de receber mensagens e ligações. Além disso, poderia haver prejuízo ao cantor, que, futuramente, também poderia exigir ressarcimento da mulher.

O pedido de pagamento de multa diária no valor de de R$ 1 mil a R$ 200 mil, caso a música não fosse retirada do ar também não foi acatado pela justiça.

Pelo mesmo motivo, um servidor público de Boa Vista (RR), também processou o cantor e, após a liminar dada pela Justiça no caso da arquiteta, uma paranaense que também teve o celular citado na música chamou Gusttavo Lima de ‘aproveitador’. Ela contou que chegou a receber 400 ligações em um dia por conta da música.

Por Ivy Valsecchi para o GMConline.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News