Mais lidas

    Paraná

    Paraná

    Mais 180 pequenos produtores terão suas terras regularizadas

    Mais 180 pequenos produtores terão suas terras regularizadas
    Foto por Reprodução
    Escrito por Da Redação
    Publicado em 10.06.2020, 12:07:17 Editado em 10.06.2020, 12:53:46
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, está apoiando a regularização de terras de mais 180 agricultores familiares do Paraná. Eles ocupam terras particulares e a regulamentação da propriedade vai gerar mais segurança e facilitar investimentos.

    As propriedades ficam no município de Imbaú, nos Campos Gerais, e somam 612 hectares. O anúncio da ação para reconhecimento do direito de propriedade aconteceu nesta terça-feira (9), durante reunião na Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

    No encontro, com a participação de autoridades do município, o secretário Márcio Nunes fez a entrega simbólica do mapeamento e memorial descritivo das propriedades ao prefeito Lauri de Oliveira, que transmitirá aos agricultores. O mapa e o memorial são fundamentais na ação de usucapião. O próximo passo é o ajuizamento da ação.

    Márcio Nunes explicou que o trabalho desenvolvido pelos técnicos do Instituto Água e Terra é feito em área de posse reconhecida, conveniado entre os governos federal e estadual, municípios e, ainda, com a anuência dos vizinhos das áreas em processo de regularização. A ação ocorre de forma transparente, sem litígio e com segurança jurídica, reduzindo o tempo e o custo financeiro para as famílias.

    “Com os registros de imóveis em mãos, essas famílias deixam de ser possuidoras para serem proprietárias”, disse o secretário. Ele reiterou o compromisso do Governo com a regularização fundiária e a importância que o título de propriedade representa para o pequeno agricultor. “Estamos realizando o sonho de muitos paranaenses que detêm a posse das terras e não têm documentos. Quando se tornam efetivamente donos, eles podem buscar financiamentos, ampliar seus empreendimentos e, consequentemente, aumentar a renda familiar”.

    METAS – O secretário enfatizou, ainda, que a meta do Governo do Estado é trabalhar para regularizar 3 mil propriedades em 2020, a partir da continuidade do convênio com os outros municípios paranaenses. “Em maio, fizemos a entrega para o prefeito de Morretes beneficiando 120 famílias. Agora estamos ampliando para mais 180 propriedades em Imbaú”, complementou. A intenção é atender 17 mil propriedades de agricultura familiar até 2022. O investimento inicial do programa é de R$ 1,5 milhão.

    SUPORTE – O diretor de Gestão Territorial do IAT, Mozarte de Quadros Junior, destacou que o programa atende as pessoas mais humildes e que necessitam de suporte do Governo do Estado. “Uma ação de usucapião custa em média R$ 5 mil”, disse. “Além de ser oneroso, demanda tempo. O governador sabe que sem o apoio institucional, essas famílias não teriam oportunidade de ser proprietárias de fato desses imóveis. Com as matrículas, elas terão acesso a créditos agrícolas, passam a contribuir e os imóveis são valorizados”.

    REGULARIZAÇÃO – Conforme explicou o Coordenador de Regularização Fundiária em Terras Particulares do Instituto Água e Terra, Dirceu Alves de Assumpção, os mapas entregues são parte do processo de incentivo à regularização fundiária da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

    O processo iniciou com a escolha, pela prefeitura e a Emater, de áreas em situação de posse, ocupadas por pequenos agricultores que desenvolvem a agricultura familiar. Após esta escolha, o antigo ITCG realizou o cadastro dos beneficiários.

    O coordenador complementou que, com recursos do Banco Mundial, foi realizada uma licitação para a escolha de empresa que executaria o georreferenciamento dos imóveis. Superada esta etapa, as áreas foram medidas, georreferenciadas e as peças técnicas, mapa e memorial descritivo foram confeccionadas. “Estas peças técnicas são elementos essenciais a uma ação de usucapião. O próximo passo é o encaminhamento de toda a documentação para a Defensoria Pública do Paraná, que ajuizará a ação”, disse.

    Eunice Salles, advogada e assistente técnico da Gerência de Regularização Fundiária, explica que o programa vem para solucionar um antigo problema de pequenos proprietários rurais que ocupam terras particulares e se encontram em situação irregular há muito tempo.

    “É uma oportunidade para essas famílias de pequenos agricultores terem acesso a programas sociais e financiamentos bancários. Com geração de renda que vai fortalecer os municípios. Conversamos muito com eles e entendemos o quanto isso é importante para todos. É um trabalho muito gratificante”, arrematou.

    IMBAÚ – O prefeito de Imbaú, Lauri de Oliveira, recebeu, simbolicamente, os documentos e falou sobre o que essa ação representa para as comunidades beneficiadas. “O que está acontecendo hoje é muito importante para o município. Estou com 70 anos de idade e nunca fizeram um projeto tão bom para a nossa comunidade”.

    As famílias que receberão os mapeamentos e memoriais descritivos são das seguintes comunidades: Charqueada dos Betins, Charqueadinha, Núcleo Salto, Faxinal do São Pedro, Charqueada de Cima, Rodovia do Papel, Serra do Facão, Serrinha, Triângulo, Núcleo Caçador, Jacutinga e Km 222.

    PRESENÇAS – Também participaram da reunião os vereadores Alex Sandro de Oliveira e Manoel Eurides Gonçalves, além do diretor do Departamento de Governo de Imbaú, Alcindo Ataíde Mendes.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Paraná

    Deixe seu comentário sobre: "Mais 180 pequenos produtores terão suas terras regularizadas"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.