Paraná

Idosa perde quase R$ 120 mil após cair duas vezes no golpe do bilhete

Crimes ocorreram com intervalo de oito meses, segundo a Polícia Civil

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Vítima registrou boletim de ocorrência na delegacia d Maringá.
fonte: Reprodução/GCM
Vítima registrou boletim de ocorrência na delegacia d Maringá.

Uma idosa, de 70 anos, moradora de Maringá, no norte do Paraná, caiu duas vezes no golpe do bilhete em um intervalo de 8 meses. O prejuízo, segundo a Delegacia de Estelionato ultrapassa R$ 120 mil.

continua após publicidade

À polícia conta que caminhava pela avenida São Paulo, quando foi abordada por uma moça que dizia estar perdida e com um bilhete premiado de R$ 2 milhões. De repente, se aproximou uma outra mulher, que ficou “sabendo da história” e disse que era perigoso ficar na rua com um prêmio tão valioso. As duas então chegam a ligar para um suposto número da Caixa, colocam o celular no viva voz. Do outro lado da linha, uma terceira pessoa, que também faz parte da farsa, confirma o prêmio milionário.

A dona do bilhete, então, informou que não poderia receber o prêmio. É a deixa para a comparsa propor comprar o bilhete premiado em parceria com a idosa. A vítima aceita a oferta, vai em casa, pega vários cartões e faz saques e empréstimos em dois bancos. No fim das contas, ela repassou R$ 15 mil para as golpistas, que inventam que precisam ir em um local antes de resgatar o prêmio, pedem para ela esperar, e simplesmente desaparecem.

continua após publicidade

Na outra situação, os golpistas agiram da mesma maneira. A vítima disse que estava caminhando pela região central de Maringá, quando foi abordada por duas pessoas que também alegaram ter um bilhete premiado no valor de R$ 2 milhões. Eles levaram a idosa para dentro de um carro, percorreram várias ruas e avenidas, e a convenceram a comprar o bilhete.

A idosa aceitou, foi até a casa dela, pegou vários cartões e faz vários saques, que totalizaram R$ 104 mil, segundo a polícia. Dentro das agências, ela transferiu o dinheiro para a conta dos golpistas.

“Eu atendo muita gente, eu não lembrava dela. Ela veio registrar esse segundo boletim de ocorrências e disse: ‘é a segunda vez que eu caio’. Eu falei: ‘como assim?’ Essa senhorinha chamou bastante atenção. Eu acho que ela teve um prejuízo grande no primeiro golpe, e pensou: ‘desta vez vou me dar bem , vou compensar o outro prejuízo’. No golpe do bilhete, a vítima está sempre está tentando ter uma vantagem, querendo ser mais esperta que o golpista”, afirmou o delegado de Estelionato, Fernando Garbelini.

Com informações do site GMC Online. 

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News