Hospital de Foz usa plasma hiperimune no tratamento de Covid - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

SAÚDE

Hospital de Foz usa plasma hiperimune no tratamento de Covid

Foto por Divulgação
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, realizou a primeira transfusão de plasma hiperimune de Foz do Iguaçu e região para tratamento de paciente com a covid-19. O procedimento foi feito na quarta-feira (26). O nome do receptor é mantido em sigilo e a evolução é acompanhada de perto por uma equipe de especialistas.

Uma das mais importantes unidades hospitalares do Sul do Brasil, o HMCC atende pacientes particulares e também do Sistema Único de Saúde (SUS).  Para os casos da covid-19, a Itaipu repassou recursos para a criação de uma ala exclusiva de UTI. Em situações de comorbidades nas quais o hospital é referência, o tratamento é de graça para a população. A medida atende diretriz do governo federal.

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, "esse tratamento de ponta coloca mais uma vez o HMCC na vanguarda na área de saúde. Nossos investimentos no hospital se traduzem em cuidados especiais no atendimento de nossa gente, sempre com carinho, respeito e muita responsabilidade".

O tratamento, um dos mais avançados do mundo, utiliza o plasma hiperimune ou convalescente para “ajudar” o sistema imunológico de quem está doente, internado e em estado grave. Caso preencha rigorosamente todos os critérios clínicos, o doente pode receber o plasma com anticorpos extraído do doador. A administração é feita meio de infusão sanguínea.

O plasma é a parte líquida do sangue coletada dos pacientes que se recuperaram da infecção causada pelo novo coronavírus e não apresentaram sintomas após 45 dias. Depois deste prazo, eles podem doar o material biológico.

Isso porque o sistema imunológico da pessoa que foi contaminada pelo vírus produz proteínas na corrente sanguínea para combater a doença – os chamados anticorpos. Sendo assim, após a recuperação do paciente infectado, os componentes sanguíneos com estes anticorpos podem ser coletados e utilizados em outras pessoas para auxiliar no tratamento da covid-19.

“Os estudos apontam que o uso desta técnica diminui a replicação do vírus no paciente e seu sistema imunológico consegue responder melhor a agressão do vírus”, afirmou Alessandra Giordani Ritt, médica hematologista e responsável técnica do Hemonúcleo de Foz.

A decisão de aplicar a terapia neste primeiro paciente foi feita por um corpo clínico especializado do hospital, segundo o diretor técnico do HMCC, o médico Rodrigo Romanini. A equipe médica foi composta pela intensivista Gisele Dal Cherri, pelo coordenador médico German Pignolo e pela hematologista Alessandra Ritt.

Eles revisaram todos os critérios técnicos, éticos e legais, e iniciaram o tratamento. A avaliação é que, até o presente momento, a transfusão obteve sucesso. "Assim como grandes instituições no Brasil e no mundo, o Hospital Costa Cavalcanti busca incansavelmente por inovadores tratamentos em prol do melhor desfecho possível no tratamento dos nossos pacientes", disse Romanini.

 

Projeto-piloto

A Fundação de Saúde Itaiguapy, administradora do HMCC e responsável pelo Hemonúcleo de Foz do Iguaçu, faz parte de uma iniciativa do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar). O projeto-piloto para utilizar anticorpos do plasma do sangue de curados do novo coronavírus começou em 21 de julho. “Este é um tipo de terapia já conhecido e utilizado para tratamento de outras patologias, como o H1N1”, explicou Alessandra.

Segundo a especialista, trata-se de um tratamento promissor no combate à doença. “Mas nem todo paciente com a covid-19 pode receber plasma hiperimune”, completou. O receptor precisa estar internado em alguma instituição hospitalar, apresentar estado grave, assinar um termo de consentimento ciente dos riscos e benefícios da terapia, além de atender todos os critérios definidos pelo Hemepar.

"Estamos acompanhando os mais modernos protocolos e todas as novidades para enfrentamento da doença”, afirmou o diretor superintendente do HMCC, Fernando Cossa. “Com muita cautela e responsabilidade, oferecemos a Foz de Iguaçu e região o auxílio necessário para a retomada econômica e a abertura do comércio.”

Desde o início da pandemia, a Itaipu Binacional investiu R$ 24 milhões na Fundação Itaiguapy para a criação de uma ala exclusiva de atendimento de covid-19, com 20 leitos de UTI, sete leitos de semi-intensiva e 20 leitos de unidade de transição, além da aquisição de testes de Reação em Cadeia de Polimerase (PCR), medicamentos e respiradores para atender a demanda da região.

Até 27 de agosto, o HMCC havia concedido 82 altas a pacientes recuperados das complicações causadas pelo novo coronavírus. Atualmente, o hospital tem 16 pessoas internadas na Unidade de Tratamento da Tratamento Covid-19 e outras quatro na unidade de transição. O hospital também já aplicou mais de 15 mil testes RT-PCR para diagnóstico do vírus Sars-CoV-2.

Doação de plasma

Ainda que seja bem-vinda, a doação de plasma de pessoas recuperadas da covid-19 ocorre após o contato do hospital com doadores em potencial. A médica Alessandra Ritt reforça a importância dos curados da covid-19 não irem espontaneamente até o Hemonúcleo.

“De forma sigilosa e ética, os técnicos responsáveis recebem a informação de quais são os pacientes recuperados da doença elegíveis para a doação de sangue”, explicou.

A partir deste levantamento é que a equipe entra em contato com os possíveis doadores. “Somente após a realizar detalhadamente a pré-triagem, havendo o cumprimento de todos os critérios, agendamos a doação de sangue”, disse. Segundo ela, os horários estão sendo agendados para evitar aglomeração.

Deixe seu comentário sobre: "Hospital de Foz usa plasma hiperimune no tratamento de Covid"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.