Paraná

Homem morre por assistir muitos vídeos de mulheres dançando no TikTok

Companheira da vítima foi encaminhada à delegacia, passou por audiência de custódia e foi liberada

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Caso aconteceu na noite de terça-feira (12), em Contenda, no Paraná
fonte: Reprodução/Redes sociais
Caso aconteceu na noite de terça-feira (12), em Contenda, no Paraná

Na noite de terça-feira (12), um homem, de 38 anos, identificado como Joarez Gonçalves Almeida, foi morto a facadas em Contenda, Região Metropolitana de Curitiba. A companheira dele, Luciane Ripka de Marafigo, é a principal suspeita do crime. A confusão entre o casal começou enquanto a vítima assistia vídeos de outras mulheres dançando no TikTok.

continua após publicidade

De acordo com o boletim de ocorrências, a vítima consumia esse tipo de conteúdo com frequência. Luciane teria pedido diversas vezes para que ele parasse, mas não obteve sucesso. No dia do crime, ele estava deitado no sofá assistindo a esses vídeos, quando a mulher se aproximou e esfaqueou ele na altura do coração.

Joarez foi encaminhado para um hospital mas morreu no caminho. Assim que souberam da morte, policiais foram acionados pelo hospital e seguiram à residência do casal, para checar o que poderia ter acontecido. Encontraram Luciane sentada no chão, enrolada em um cobertor e alterada pelo uso de bebida alcoólica. Ela perguntou para a equipe se Joarez estava morto e, em seguida, tentou fugir pela porta.

continua após publicidade

Uma faca já lavada, porém ainda com resquícios de sangue, foi localizada na casa. No pátio da residência estava jogada a blusa que Luciane, toda manchada de sangue, a que ela usou para supostamente praticar o crime.

A suspeita também foi levada ao Hospital Municipal de Contenda e depois encaminhada à Delegacia de Polícia Civil da Lapa.

Segundo o delegado Vinícius, da Lapa, a suspeita ficou presa por no máximo 24 horas. Passou por audiência de custódia e está em liberdade provisória com algumas medidas restritivas.

Com informações da ricmais.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News