Governo amplia leitos no Hospital Universitário dos Campos Gerais - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Saúde

Governo amplia leitos no Hospital Universitário dos Campos Gerais

Foto por
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

A ala neonatal, materno e infantil do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, em Ponta Grossa, será transferida ao Hospital da Criança João Vargas de Oliveira, para dar lugar a novos leitos exclusivos para pacientes com Covid-19. O governador Carlos Massa Ratinho Junior esteve nesta quarta-feira (19) na cidade e formalizou a migração para a nova unidade.

Ratinho Junior percorreu as alas do Hospital da Criança, que passou por reforma e foi entregue recentemente à população. A unidade passa a contar com mais 32 leitos de maternidade e mais cinco de observação e procedimentos. Dentro de alguns dias, começam a funcionar também os 30 leitos pediátricos e 10 leitos de UTI neonatal e pediátrica.

Com isso, a o HU ganhará mais 26 leitos clínicos, chegando a 50. O HU já tem 30 leitos de UTI adulto exclusivos para pacientes com coronavírus, dentro da estratégia de enfrentamento à doença adotada pela Secretaria de Estado da Saúde. Atualmente, dos 30 leitos de UTI adulto do Hospital Regional dos Campos Gerais, 28 estão ocupados (93%). Dos 24 leitos de enfermaria, 18 estão ocupados (75%). “A ampliação da estrutura é para dar segurança no atendimento da Covid no município.

“A Saúde também estuda a ampliação dos leitos de UTI, mas os pacientes da região também podem ser encaminhados ao Hospital Regional de Telêmaco Borba, que conta com 20 leitos de UTI, ou para o Rocio, em Campo Largo, que ficam a uma hora daqui”, ressaltou o governador.

Ratinho Junior explicou que o Estado habilitou cerca de 1.100 UTIs desde o início da pandemia, quase a mesma quantidade dos leitos intensivos criados ao longo dos últimos 30 anos. “Em algumas regiões, houve semanas com muitos casos de Covid-19, chegando próximo à lotação dos hospitais, sem nunca deixarmos faltar leitos”, salientou.

“Neste momento, Ponta Grossa tem um crescimento nos casos. Pensamos em uma estratégia regional, com a retaguarda em diferentes unidades, além da possibilidade de remanejar equipamentos de outras cidades, onde os casos estão mais controlados, aqui para a região”, explicou. “Temos hoje equipamentos à disposição e uma boa rede de equipes médicas e de enfermagem”.

ESTRATÉGIA - O município de Ponta Grossa tem 1.979 casos confirmados da Covid-19 e 27 óbitos pela doença. De acordo com diretor-geral da Secretaria de Estado da Saúde, Nestor Werner Júnior, houve uma ampla discussão com as equipes da prefeitura e da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), que administra o Hospital Universitário, para fazer o remanejamento da ala materno-infantil.

“Na prática, ampliamos a oferta de serviços para termos uma robustez no sistema de saúde de Ponta Grossa, tendo a estratégia da Covid-19 concentrada no Hospital Universitário, o atendimento materno-infantil no Hospital da Criança”, explicou Werner. “Isso vai render mais leitos, possibilitando mais consultas e cirurgias e um melhor atendimento à população, com as especialidades divididas em cada lugar”, disse.

TRÊS HOSPITAIS - Ele lembrou que o Governo do Estado adiantou as obras de três hospitais regionais — além de Telêmaco Borba, passaram atender os pacientes com coronavírus os de Ivaiporã, no Vale do Ivaí, e de Guarapuava, na região Central.

“A abertura dos leitos segue a dinâmica da pandemia. Não tivemos a necessidade de instalar hospitais de campanha, contamos sempre com a estrutura médico-hospitalar já disponível no Estado”, ressaltou Werner. “A abertura dos leitos em Ponta Grossa e Telêmaco Borba faz parte do plano de contingência que está sendo levado a cabo, com muito planejamento, desde o início da pandemia. Nenhum paciente de Covid ficou sem atendimento”, disse.

R$ 13 MILHÕES - O custeio para o funcionamento dessas novas alas do Hospital da Criança será assumido pelo Estado, totalizando R$ 13 milhões por seis meses, com recursos da Secretaria da Saúde e da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Também está prevista a implantação de consultórios médicos e de enfermagem e duas salas de parto cirúrgico, chegando a 30 leitos de pediatria clínica e cirúrgica e dez leitos de UTI neonatal e pediátrica, totalizando uma estrutura de 75 leitos de atendimento materno-infantil.

UPA - O governador também vistoriou as futuras instalações da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Santana, que deve começar a funcionar em novembro. O Estado cedeu ao município o prédio de mais de 2 mil metros quadrados. A previsão é atender até 400 pessoas por dia.

A prefeitura realiza agora a reforma e adequações necessárias para a instalação de nova UPA, a segunda da cidade. Além de recursos próprios, o município também recebeu repasses da Justiça Federal e do Ministério Público Federal. A reforma está sendo administrada pelo Rotary Lagoa Dourada.

PRESENÇAS — Participaram da solenidade o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto; o presidente da Associação Amigos do Hospital da Criança, Nelson Canabarro; e o deputado estadual Hussein Bakri.

Foto por
Foto por
Foto por
Foto por
Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Governo amplia leitos no Hospital Universitário dos Campos Gerais"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.