Paraná

Fruet cobra governo e defende redução de tarifas e impostos

O deputado Soldado Fruet pediu para que o Governo do Paraná olhe pelos mais pobres e reduza as tarifas e impostos

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Fruet cobra governo e defende redução de tarifas e impostos
fonte: Orlando Kissner/Alep

O deputado estadual Soldado Fruet (PROS) cobrou o Governo do Paraná durante um discurso na sessão desta quarta-feira (23) da Assembleia Legislativa do Paraná. De acordo com o político, a administração deve olhar pelos mais pobres e reduzir as tarifas e impostos para ajudar no orçamento dos paranaenses.

continua após publicidade

“Fevereiro está chegando ao fim e, como todo final de mês, as contas começam a chegar e são sentidas principalmente pelas famílias mais pobres. Água, luz, IPVA e transporte são contas que pesam demais na vida das pessoas”, comentou, reiterando que “a Copel e a Sanepar não podem ser do povo paranaense só no discurso, elas precisam ser do povo na função social, na hora de prestar um bom serviço e na hora de cobrar tarifas justas”.

IPVA e Transporte

continua após publicidade

O deputado defendeu a redução do IPVA - cuja alíquota para a maioria dos veículos está em 3,5% - para o índice antigo de 2,5%. “O aumento foi na gestão de Beto Richa, mas Ratinho Junior tem poder para diminuir”, afirmou. Segundo ele, “o transporte poderia ter seu custo reduzido se o Estado baixasse o ICMS do combustível, que é altíssimo [chega a 29%, no caso da gasolina]”. O deputado também anunciou um requerimento pedindo ao governador a volta da isenção do ICMS do óleo diesel do transporte coletivo, para baratear os valores das passagens de ônibus em todo o Estado. "Isso beneficiaria milhões de paranaenses”, afirmou.

Água e luz

De acordo com o deputado, “água e luz podem, sim, terem suas tarifas reduzidas”. Na avaliação dele, “nada justifica empresas cuja função é social se preocuparem mais com os lucros dos acionistas do que com o bem-estar da população”. O parlamentar também rebateu a fala do secretário da Fazenda, Renê Garcia Junior, que, na véspera, ao ser questionado na Assembleia Legislativa sobre a distribuição de dividendos da Copel e da Sanepar, justificou que as empresas distribuem o dobro do mínimo legal, ou seja 50% do lucro a seus acionistas, “porque estão saudáveis financeiramente”.

continua após publicidade

Conforme Soldado Fruet, a Copel tem uma dívida de R$ 10,450 bilhões e a Sanepar, até o final de 2021, devia R$ 2,9 bilhões e esse ano já emitiu R$ 600 milhões em debêntures, “ou seja, no ano passado lucrou R$ 1 bilhão, deu o dinheiro todo para os acionistas e agora corre ao mercado financeiro para emprestar R$ 600 milhões a juros altos”. Diante disso, questionou: “que tipo de administração é essa? Pego o lucro, dou aos bancos e depois vou aos bancos e peço esse mesmo dinheiro emprestado a juros altíssimos. Esse negócio só é bom para uma classe de brasileiros: os bilionários”.

“Secretário Renê, a Copel e a Sanepar são saudáveis financeiramente pelo seu porte, pelo seu faturamento e quase que pelo seu monopólio”, apontou o líder do PROS na Casa de Leis. Por essa razão, ele é favorável que as duas empresas controladas pelo Governo do Estado reduzam o repasse de dividendos ao mínimo legal. “Se fizessem isso, em quatro anos teriam pago esses quase R$ 15 bilhões de dívidas e, de imediato, as contas de água e luz poderiam ser reduzidas em quase 30%”, estimou.

Fonte: Assembleia Legislativa do Parná (Alep).