Paraná

Festas na delegacia terminam com bloqueio de bens na justiça

Ministério Público de Dois Vizinhos obtém bloqueio de bens de prefeito, delegado e outras cinco pessoas em ação relacionada a festas realizadas na delegacia

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Delegacia de Dois Vizinhos, onde as festas seriam realizadas às sextas-feiras
fonte: Arquivo Deppen/PR
Delegacia de Dois Vizinhos, onde as festas seriam realizadas às sextas-feiras

O prefeito e o delegado de polícia de Dois Vizinhos e outras cinco pessoas da cidade, que fica no Sudoeste do Estado, tiveram os bens indisponibilizados por determinação judicial liminar. A decisão atende pedido formulado em ação civil pública, por ato de improbidade administrativa, ajuizada pelo Ministério Público do Paraná (MPPR), por meio da 1ª Promotoria de Justiça da comarca.

continua após publicidade

O MPPR sustenta que o delegado seria responsável por promover churrascos e confraternizações na unidade de polícia, com a participação de políticos e empresários, usando dinheiro público e doações, com a anuência do gestor municipal.

A investigação da Promotoria foi conduzida com suporte do núcleo de Francisco Beltrão do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que chegou a cumprir ordem de busca na delegacia, em outubro do ano passado, quando foi constatada “a realização de confraternização com consumo de bebidas alcoólicas e pessoas estranhas ao serviço policial”. Essas festas seriam constantes, promovidas em geral às sextas-feiras.

continua após publicidade

DEVOLUÇÃO DOS VALORES

Como aponta o Ministério Público na ação, o delegado seria “responsável por determinar, praticar, aprovar e/ou consentir” com as confraternizações, e o prefeito, “por aderir e praticar atos de improbidade administrativa, agindo enquanto detentor do cargo público e em nome dele, ao intervir nas investigações da Polícia Civil, para benefício próprio e de seus aliados políticos”, além de outras irregularidades ligadas a cessão e contratação de servidores.

continua após publicidade

A liminar referente à indisponibilidade de bens foi deferida pelo Juízo da Vara da Fazenda Pública de Dois Vizinhos. Afastado das funções também a pedido do MPPR desde fevereiro deste ano, o policial teve os bens bloqueados em até R$ 495.886,95, e o prefeito em R$ 142.778,85.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News