Paraná

Escola de Saúde Pública forma novos residentes no Paraná

Residências são reconhecidas pelo Ministério da Educação e integralmente custeadas pela secretaria estadual da Saúde

Da Redação ·
O Secretário Beto Preto na Escola de Saúde Pública, que forma novos residentes e reforça estratégia de educação continuada para cerca de 22 mil alunos
fonte: Danilo Avanci/SESA
O Secretário Beto Preto na Escola de Saúde Pública, que forma novos residentes e reforça estratégia de educação continuada para cerca de 22 mil alunos

A Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP) formou 12 novos residentes nesta segunda-feira (21). São sete de enfermagem obstétrica e cinco multiprofissionais para atuar com saúde mental. Os dois programas foram implantados em 2019 e já formaram, ao todo, 19 profissionais no Paraná.

continua após publicidade

A valorização da educação continuada pela ESPP foi incrementada pela Secretaria de Estado da Saúde desde 2019, sob a ótica de atualização e aperfeiçoamento profissional. As residências são aprovadas e reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).

Esta foi a 2ª turma da ESPP para estas modalidades. As residências têm duração de dois anos e são custeadas, integralmente, pela secretaria estadual da Saúde, somando mais de R$ 1,8 milhão em recursos investidos em três anos. Outros cursos já foram ofertados com um grande contingente de trabalhadores da saúde, além de pessoas interessadas na área.

continua após publicidade

NOVOS PROFISSIONAIS

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, reforçou a necessidade de formação de novos profissionais. “Com a pandemia da Covid-19, vivemos um momento difícil quando o assunto é recursos humanos. Precisamos de mais pessoas, de mais vagas e hoje é uma alegria imensa poder formar estes residentes, porque confio que assim poderemos avançar ainda mais”, disse.

continua após publicidade

Somente em 2021, a ESPP registrou mais de 21,7 mil novas matrículas para formação de nível médio técnico, especialização e programas de residência, que geraram pelo menos 9,6 mil certificados emitidos. “A especialização tem caráter de formação importante para o Sistema Único de Saúde. Este momento é muito especial, de alegria e satisfação por cumprirmos nossa missão de formar novos profissionais”, afirmou o diretor da Escola, Edevar Daniel.

Durante o período de formação, os residentes de obstetrícia atuaram no Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT), que é parceiro no processo de ensino de novos profissionais na área. Já os estudantes de saúde mental foram designados para o município de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, para atuação diretamente na cidade.

Participaram da solenidade, o diretor-superintendente do Complexo Hospital do Trabalhador, Geci Labres de Souza Junior, a representante e diretora do Conselho Fiscal Sul do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), e secretária municipal de Saúde de Pinhais, Adriane da Silva Jorge Carvalho; e demais servidores da saúde de Pinhais e da ESPP.