Mais lidas

    Paraná

    Educação

    Educação avança em tecnologia e inovação para soluções de ensino remoto

    Educação avança em tecnologia e inovação para soluções de ensino remoto
    Foto por Reprodução/AEN
    Escrito por Agência Estadual de Notícias do Paraná
    Publicado em 22.12.2020, 13:40:38 Editado em 22.12.2020, 13:40:40
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Em 2020, o grande desafio da Educação foi encontrar soluções para proporcionar ensino de qualidade a todos os alunos da rede estadual, que tiveram de se adaptar às aulas remotas devido à pandemia do novo coronavírus. O foco da Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná foi investir em tecnologia e inovação a serviço dos estudantes, professores e comunidade escolar.

    Parte do orçamento anual da pasta (em torno de R$ 7 bilhões) foi destinado a iniciativas como o Aula Paraná, que se consolidou como um efetivo sistema multiplataforma de educação a distância, com aulas transmitidas pela televisão, YouTube e aplicativo. Algumas das parcerias da iniciativa incluem as ferramentas Google, como o Classroom, o Meet e o Forms.

    Stefany Carlieli da Silva, de 15 anos, começou a usar as plataformas digitais em outubro. Até então, ela não tinha wi-fi em casa e buscava as atividades impressas na escola. Para isso, saía de Porto São José, na divisa entre Mato Grosso do Sul e Paraná, atravessava o Rio Paraná de balsa e pegava um ônibus até chegar ao Colégio Estadual Cecília Meireles, em São Pedro do Paraná, no Noroeste do Estado.

    “Acho mais fácil acompanhar as aulas assim pela internet. Estou me adaptando bem”, diz a estudante, que cursa o 1º ano do Ensino Médio. Assim que o dono da fazenda onde ela mora com a família contratou um provedor de internet, Stefany passou a acessar as plataformas digitais diariamente. “Eu entro pelo meu notebook ou celular. Às vezes, uso até os da minha mãe e do meu pai”, conta.

    Outro exemplo é Roberta Oliveira Serapio, que mora na região rural de Pinhão, no centro-sul do estado; ela também prefere usar o aplicativo. “Pegava as atividades impressas no começo, mas passei a estudar pelo Classroom. Achei mais prático”, diz a estudante de 14 anos, que cursa o 9º ano no Colégio Estadual do Campo Professor Izaltino Rodrigues Bastos. Ela gosta, também, de participar dos meetings. “São muito bons. Dá para a gente matar as saudades, conversar, entender melhor o conteúdo com a explicação do professor”, comenta.

    FERRAMENTAS - Além do Aula Paraná, a Secretaria da Educação também investiu, ao longo do ano, em ferramentas como o Redação Paraná, que auxilia estudantes e professores na correção de redações usando inteligência artificial, o Escola Total, sistema para que docentes acompanhem o rendimento escolar de alunos, e o Escola Paraná, aplicativo para que pais e responsáveis acompanhem o desempenho dos estudantes. Outro destaque na área da tecnologia foi o aprimoramento do sistema de matrículas online, disponível, agora, para a totalidade da comunidade escolar.

    AULA PARANÁ — Lançado em abril para atender estudantes da rede estadual no período de pandemia, o Aula Paraná — ferramenta de aulas remotas — se consolidou como sistema multiplataforma de educação a distância. As aulas, gravadas por professores selecionados ao longo do ano, foram transmitidas por canal de televisão aberta, pelo YouTube e pelo aplicativo (que não consome dados de 3G e 4G) e alcançaram os cerca de 1 milhão de alunos da rede.

    Houve, ainda, uma série de parcerias, como a realizada com o Google Meets, plataforma usada pela rede estadual para aulas ao vivo por videochamada.

    Semanalmente, aconteceram mais de 5 milhões de minutos de meetings. Outra parceria foi com o Google Forms (para entrega de atividades), que contabilizou, neste ano, mais de 300 milhões de envios de tarefas.

    Houve, ainda, a parceria com o Google Classroom, que funciona como uma sala de aula virtual, onde as videoaulas ficam armazenadas e os professores podem adicionar material de apoio e definir atividades com prazo de entrega.

    REDAÇÃO PARANÁ — O sistema Redação Paraná, que usa inteligência artificial para auxiliar alunos e professores na correção de redações, está sendo utilizado, desde 30 de novembro, por 255 mil estudantes da rede estadual, na fase piloto de implantação.

    Eles são alunos dos cerca de 2 mil professores de Língua Portuguesa, em todo o estado, para quem a ferramenta já foi disponibilizada. Os docentes participaram do curso Formadores em Ação, oferecido pela Secretaria da Educação. Em 2021, a plataforma deve estar disponível para todos os estudantes e professores da rede.

    A ferramenta, que foi desenvolvida internamente pela Diretoria de Tecnologia e Inovação da Secretaria, consiste em um sistema dotado de inteligência artificial, baseado em mais de 2,5 mil regras de linguagem, que faz análise de texto e sinaliza em tempo real os erros de gramática, ortografia, pontuação, contração, redundância, semântica e sintaxe.

    Além disso, há explicações sobre os erros cometidos, pontuação prévia para os textos e um mecanismo que evita o plágio, impedindo as opções copiar/colar. A proposta do programa, portanto, é beneficiar tanto os estudantes, que poderão treinar a escrita e alcançar melhores resultados nas redações, quanto os professores, que poderão focar na argumentação e nas ideias do texto, devido à pré-correção rápida e otimizada feita pela ferramenta.

    ESCOLA TOTAL — Desde 19 de novembro, os colégios estaduais do Paraná tiveram acesso ao Escola Total, um sistema de gestão para que diretores, pedagogos e professores acompanhem em tempo real a frequência e o aproveitamento dos alunos. Dessa forma, os profissionais podem acompanhar o rendimento de cada um dos estudantes e ter em mãos, com facilidade, dados para planejar estratégias de aprimoramento do desempenho escolar.

    ESCOLA PARANÁ — O aplicativo Escola Paraná, desenvolvido para que pais e responsáveis legais acompanhem o desempenho escolar dos estudantes, já chegou a 3,4 milhões de downloads. Criado pela Secretaria da Educação, em parceria com a Celepar, o app permite a visualização do boletim escolar, da agenda de atividades da escola, da grade de disciplinas e dos avisos enviados pelo colégio.

    Há, também, uma versão do Escola Paraná para os professores, que atingiu 74 mil downloads. Nela, o docente da rede estadual pode agendar e acompanhar datas de provas e trabalhos, além de enviar avisos para as turmas e lançar frequência e conteúdo de aulas no modo off-line.

    MATRÍCULAS ONLINE — A matrícula escolar para o ano letivo de 2021 é feita quase inteiramente online neste ano. De 24 de novembro a 18 de dezembro, os pais, responsáveis legais e estudantes da rede estadual podem acessar a “Área do Aluno” (plataforma virtual da Secretaria da Educação) para confirmar a vaga de matrícula inicial ou de rematrícula. Apenas aqueles que não têm acesso a celular ou à internet precisam comparecer à instituição de ensino para, nela, realizar o processo on-line em um computador disponibilizado pela escola.

    O procedimento on-line foi implementado em 2019 e foi a modalidade escolhida por cerca da metade dos pais, responsáveis e estudantes que realizaram a matrícula. Em 2020, em razão da pandemia, o processo virtual de matrícula (que já estava sendo aperfeiçoado) passou por ainda mais adaptações, visando estar disponível à totalidade da comunidade escolar do Estado.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Paraná

    Deixe seu comentário sobre: "Educação avança em tecnologia e inovação para soluções de ensino remoto"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.