Curitiba registra protestos em frente ao Carrefour - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

COMOÇÃO

Foto por Anderson Grossl/RPC
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Um grupo de manifestantes antirracistas protestou em frente ao Carrefour do bairro Parolin, em Curitiba, na manhã deste sábado (21), contra a morte de João Alberto Freitas, o João Beto, em Porto Alegre (RS). Foi o segundo dia de manifestações em Curitiba contra a morte do soldador.

O cidadão negro foi espancado e morto por dois vigilantes brancos em uma unidade do mercado na capital gaúcha. Os suspeitos tiveram prisão preventiva decretada. O laudo inicial aponta que o soldador, de 40 anos, foi morto por asfixia.

O ato, organizado pelas redes sociais, começou por volta das 10h em frente à unidade do mercado, na capital paranaense, e terminou no início da tarde.

Manifestantes ocuparam parte do estacionamento e gritaram palavras de ordem. Grades do mercado foram pichadas.

Em seguida, os manifestantes pegaram carrinhos de compra e seguiram até a Avenida Marechal Floriano Peixoto, onde fecharam uma das faixas com os utensílios.

A Polícia Militar foi chamada e acompanhou o protesto. Não houve registro de ocorrências. 

Segundo dia de manifestações

Outro protesto em Curitiba contra o assassinato de João Beto foi registrado na sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra.

A manifestação também na unidade do mercado que fica no bairro Parolin. Os manifestantes levaram bandeiras e faixas e gritaram palavras de ordem. O protesto foi pacífico.

Veja a íntegra da nota do Carrefour

O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente. Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.

Com informações, G1

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Curitiba registra protestos em frente ao Carrefour"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.