Paraná

Comerciante de Maringá é condenado a 43 anos de prisão

Valdomiro matou a mulher e a enteada em novembro de 2020

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Comerciante de Maringá é condenado a 43 anos de prisão
fonte: Reprodução/Redes Sociais

O comerciante Valdomiro Campos, de 59 anos, foi condenado a 43 anos e 2 meses de prisão nesta terça-feira (22), por ter matado a mulher Elisabete Maria Orioli, de 62 anos, e a filha dela, Francielle Orioli, de 39. O crime ocorreu em novembro de 2020, na Zona 4, em Maringá, Paraná. 

continua após publicidade

Valdomiro cometeu o crime no mesmo dia em que comemorava mais um ano de vida. Na mesma data, também comemorava 9 anos de casado. 

Os jurados entenderam que o réu praticou os crimes de maneira pensada, sem chances de defesa para as vítimas. Os advogados de Valdomiro prometeram recorrer da decisão. A família das vítimas compareceu no Fórum de Maringá e comemorou a sentença.

continua após publicidade

O caso

De acordo com Polícia Civil, mãe e filha foram baleadas durante uma discussão com Valdomiro. Segundo o delegado de homicídios de Maringá, Diego Freitas, a enteada foi morta ao tentar defender a mãe em meio a briga.

“O que apuramos é que estava acontecendo uma festa de aniversário do próprio autor e, nessa festa, houve um desentendimento entre ele e a esposa. Ele foi tentar agredir a própria esposa e, nisso, a enteada entrou no meio. Ele sacou uma arma de fogo e foi tentar atingir a esposa, acabou atingindo a menina. Em seguida, ele também atirou contra a esposa”, explicou o delegado.

continua após publicidade

Equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas, mas Franciele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A mãe dela foi socorrida em estado grave e também morreu no hospital dias depois. Valdomiro fugiu da cena do crime e foi preso pela polícia rodoviária quando buscava um esconderijo em Londrina.

 Elisabete Maria Orioli e a filha Francielle Orioli. Ambas foram mortas por Valdomiro em novembro de 2020, em Maringá. fonte: Reprodução/Redes Sociais
Elisabete Maria Orioli e a filha Francielle Orioli. Ambas foram mortas por Valdomiro em novembro de 2020, em Maringá.

Com informações do GMC Online.