Paraná

Beto Preto inicia discussão da nova etapa do PRI no Norte

A Secretaria de Estado da Saúde iniciou a discussão da segunda etapa do Planejamento Regional Integrado (PRI) na Macrorregião Norte

Da Redação ·

O secretário de saúde do Paraná, Beto Preto, anunciou que iniciará discussões sobre a nova etapa do PRI na Macrorregião Norte do Estado. Esta Macro é composta por cinco Regionais de Saúde, são elas: 16ª – Apucarana; 17ª – Londrina; 18ª – Cornélio Procópio; 19ª – Jacarezinho e 22ª – Ivaiporã, somando 97 municípios de abrangência.

continua após publicidade

O projeto iniciado em 2019, havia sido paralisado devido a pandemia da Covid-19 e foi retomado nesta semana, iniciando pela Macrorregião Noroeste, em Maringá, nesta segunda e terça-feira (18 e 19). A programação deve continuar na próxima semana na Macrorregião Oeste, em Foz do Iguaçu, nos dias 25 e 26 e na Macrorregião Leste, em Paranaguá, nos dias 28 e 29. O diagnóstico do Planejamento já foi finalizado e agora os trabalhos devem incluir a formalização dos eixos

“Uma das primeiras ações que fizemos nesta gestão, a pedido do governador Ratinho Junior, foi instituir um Grupo Condutor para discutir a regionalização. O objetivo do PRI é juntar esforços com os municípios. Estamos levando essa discussão para dentro de cada Regional de Saúde, olhando no olho de cada gestor e pensando no benefício da população”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

continua após publicidade

O trabalho de execução do PRI envolve as equipes da Sesa, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems/PR) e União, em quatro encontros Macrorregionais para alinhar e diagnosticar as ações ligadas ao fortalecimento da Rede de Atenção à Saúde, identificando as necessidades e objetivos de cada Região, subsidiando a elaboração de Planos à nível Regional e Macro.

Segundo o representante do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi), Carlos Pilz, o Estado se destaca nacionalmente em ações de melhorias em Saúde Pública. “O Paraná sempre realiza ações bem à frente dos demais estados da Federação e todos nós estamos bem empolgados em participar deste trabalho e a medida que formos identificando necessidade de apoio e realização de ações, vamos pactuando esta parceria nas mais diversas regiões”.

A diretora da 17ª Regional de Saúde de Londrina, Maria Lucia Lopes, falou sobre a expectativa desta discussão na Região. “A Macrorregião Norte envolve cerca de dois milhões de pessoas e nós acordamos todos os dias para cuidar dessa população, com o objetivo de que esse cuidado seja cada vez mais qualificado e atendendo a necessidade da sociedade. Este debate vai sem dúvidas embasar as novas ações para fortalecimento do atendimento em Saúde nestes municípios”, disse.

continua após publicidade

COVID-19 – Agora, o projeto incluirá um eixo de discussão voltado somente para as ações de enfrentamento à pandemia da Covid-19 com destaque para o pós-pandemia. O secretário Beto Preto voltou a ressaltar os gargalos da Saúde do Paraná, principalmente após a introdução do coronavírus no Estado.

“Temos que reorganizar este projeto iniciado há dois anos, incluindo principalmente o pós-covid, e as demandas que em determinado momento precisaram ficar em segundo plano, que incluem: cirurgias eletivas, o reforço na Rede de Atenção Primária em Saúde, um outro olhar para a Saúde mental e também o atendimento aos sequelados que foram infectados pelo vírus”, disse.

O secretário municipal de Saúde de Londrina, Felippe Machado, também participou da oficina e ressaltou a participação do Governo do Estado nas discussões regionalizadas afetadas pela pandemia. “Estamos há quase dois anos só falando de Covid e a pandemia acabou frustrando algumas ações que eram previstas para a Saúde do Paraná, mas o Governo Ratinho Junior é municipalista e percorre os municípios para ouvir as demandas e agora o PRI vai retomar essas discussões em cada cidade, para que possamos melhorar cada vez mais a qualidade da saúde da nossa população”.

continua após publicidade

“Cumprimos com parte do nosso propósito que era distribuir e equiparar a cobertura vacinal nos 399 municípios para a população adulta, os municípios participaram disso e vacinaram de domingo a domingo. Agora precisamos rever este diagnóstico inicial do Planejamento e ampliar a discussão com o eixo Covid, sempre com cautela e transparência”, acrescentou Beto Preto.

PARTICIPAÇÕES – Estiveram presentes gestores municipais de Saúde; equipes da Sesa e das Regionais de abrangência; o diretor de Gestão em Saúde da Sesa, Vinícius Filipak; a diretora de Atenção em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes; o secretário municipal de Saúde de Bandeirantes e representante do Cosems, Wanderson de Oliveira; o diretor-geral do Hospital Zona Norte de Londrina, representado a Funeas, Reilly Lopes; a responsável pela Coordenação-técnica do Cosems/PR, Marina Ricardo Martins; a representante da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR) Campus Londrina, Evelin Massae Ogatta Muraguchi; e a representante da Universidade Estadual de Londrina (UEL) do departamento de Saúde Coletiva, Marselle Nobre de Carvalho.

Informações cedidas pela SESA-PR