Paraná

Após saque de carga e vilipêndio de cadáver, indígenas interditam rodovia e atacam policiais

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Após saque de carga e vilipêndio de cadáver, indígenas interditam rodovia e atacam policiais
fonte: PRF
Após saque de carga e vilipêndio de cadáver, indígenas interditam rodovia e atacam policiais

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou, no fim da tarde desta segunda-feira (16), interdição da rodovia e ataque a uma equipe policial por centenas de indígenas da etnia Kaingang, na BR-277, em Nova Laranjeiras, no Paraná. O fato ocorre na mesma semana em que quatro índios foram presos após o saque de um caminhão e o pisoteamento do corpo do motorista.

continua após publicidade

Um grupo estimado em cerca de quatrocentos indígenas, dos quais muitos armados com facões, cercou e tomou uma viatura policial que fazia o policiamento no trecho de Rio das Cobras. Após investirem contra os policiais, os indígenas reivindicaram a soltura dos quatro índios presos em razão de saque de carga transportada por veículo envolvido em acidente na última quarta-feira (11), também na BR-277, quando o motorista, que faleceu no acidente, teve seu corpo pisoteado pelos saqueadores. 

Após a interdição do trânsito no local, os indígenas atacaram aos policiais e apedrejaram as viaturas. A PRF mobilizou reforço policial especializado, sendo necessário o emprego do seu Grupo de Choque. Durante as negociações, foi necessário o uso de equipamentos de controle de distúrbios (gás lacrimogênio). O trânsito na via foi normalizado por volta das 19h15 sem que houvesse registro de policiais ou indígenas feridos.

continua após publicidade

Os indígenas presos em razão do cometimento de diversos crimes foram apresentados à Polícia Judiciária e seguem detidos à disposição da justiça. A PRF não negocia e não se submete a ameaças criminosas.

O fluxo viário no região está normalizado e a PRF seguirá com operação permanente do seu efetivo de Pronta Resposta Federal, do seu Grupo de Choque, do Suporte Aerotático e dos demais meios necessários para garantir que a rodovia não volte a ser interditada, preservando a mobilidade, logística e integração regional, reprimindo qualquer ato criminoso contra a sociedade paranaense e demais usuários das rodovias federais.

Fonte: PRF. 

Tags relacionadas: #INDÍGENAS #paraná #policial #PRF