Paraná

Aglomeração é a principal razão para interdição de comércios

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Aglomeração é a principal razão para interdição de comércios
fonte: Hully Paiva/SMCS
Aglomeração é a principal razão para interdição de comércios

O descaso das pessoas com o distanciamento social e as aglomerações têm sido o principal motivo para a interdição de estabelecimentos comerciais e de serviços que estão em funcionamento em Curitiba. Fiscalizações realizadas na sexta-feira (15/5) e noite de sábado (16/5) resultaram em 14 notificações e dois fechamentos de bares.

continua após publicidade

Foram vistoriadas lojas de departamentos, de materiais de construção, papelaria, supermercados, açougues, salão de cabelereiros além de bares.  

continua após publicidade

Evitar o agrupamento de pessoas, garantir 1,5 metro de distância entre cada cidadão está entre as exigências estabelecidas pelo Comitê de Técnica e de Ética Medica do município e dispostas na resolução 01/2020 do município, para todo estabelecimento em funcionamento na cidade.

Outras exigências são o uso de máscaras por todos, clientes e funcionários (neste caso mesmo que o trabalhador não esteja em contato direto com o cliente), disponibilização de álcool em gel para todos, higienização constante dos sanitários que devem dispor sabonete líquido, papel toalha e lixeira com acionamento por pedal.

Também precisa ser constante a higienização de todas as superfícies, como mesas, cadeiras e balcões, com álcool setenta por cento, nas áreas internas e externas.

continua após publicidade

Ações diurnas

As fiscalizações realizadas na sexta-feira (15/5) ocorreram durante o dia, em loja de departamentos, de materiais de construção, papelaria, supermercados, açougues, salão de cabelereiros em funcionamento nos bairros Rebouças, Juvevê, Cabral, Água Verde e Vila Isabel.

Os fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo expediram notificações nos nove estabelecimentos vistoriados quanto ao cumprimento da resolução municipal usada como complemento das medidas de combate à covid -19. Em seis vistorias também foram realizadas notificações quanto a irregularidades no alvará de funcionamento.

continua após publicidade

Aifu

Já no sábado, foi Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), com equipes da Prefeitura e Governo do Estado, em bares nos bairros Santa Felicidade, Água verde, Seminário e São Francisco. Todos os cinco estabelecimentos fiscalizados foram notificados com base na resolução 01, sendo dois também por apresentaram irregularidades quanto a documentação. Dois, localizados no Seminário, precisaram ser interditados por estarem com aglomeração no momento da fiscalização.

continua após publicidade

A fiscalização aos estabelecimentos em funcionamento tem sido constante pelas equipes da Secretaria Municipal do Urbanismo. Somadas as ações realizadas na semana, entre a manhã de segunda-feira (11/5) e a noite de sábado  (16/5), foram fiscalizados 46 estabelecimentos, expedidas 43 notificações, e interditados quatro estabelecimentos.

Todos haviam sido denunciados pela população, via 156, por descumprirem as medidas necessárias para evitar a contaminação da covid-19.

Guarda Municipal

A Secretaria Municipal da Defesa Social também intensificou as ações de fiscalização e orientação da população. Nas duas primeiras semanas de maio, a Guarda Municipal já orientou 17.271 pessoas em situações diversas, como em canchas, praças, eixos comerciais, nos arredores e entradas de agências bancárias, durante a retirada dos kits de alimentação em CMEis e escolas da rede municipal e nos terminais de transporte coletivo. Além de recomendar que se evite aglomerações, a GM organiza filas e conversa sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras.

As atividades também atendem a solicitações da própria população que chegam pela Central 156 de Atendimento ao Cidadão e, também, pelo telefone de emergência 153 da Guarda Municipal