Mais lidas
Paraná

Projeto do Sebrae/PR leva inovação para indústrias de alimentos no Norte Pioneiro

.

Inovar para crescer. Esta é a proposta do Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) do Sebrae/PR. No Norte Pioneiro do Paraná, o projeto atende 40 empresas do setor de alimentos com o foco na melhoria de processos e produtos para fazê-las crescer de forma sustentável.

O projeto, que iniciou um novo ciclo em 2017 e será concluído em maio de 2019, já colhe resultados, com a conquista de certificações como o Selo Alimentos do Paraná, além de melhorias nas práticas de fabricação e processos de gestão, que já refletiram no aumento das vendas.

O consultor do Sebrae/PR em Jacarezinho, Odemir Capello, diz que muitas empresas participantes, orientadas pelo Agente Local de Inovação, têm conseguido usar recursos subsidiados do Sebraetec para buscar certificações, desenvolver novos produtos, criar estratégias de divulgação nas mídias sociais, mudar o layout de embalagens, melhorar as práticas de fabricação, entre outras ações.

“A participação no programa Selo Alimentos do Paraná, um dos focos do trabalho do ALI, aumenta a competitividade das empresas no mercado e o valor agregado dos produtos. Além disso, elas têm a possibilidade de participar das rodadas de negócios no Paraná, gratuitamente”, cita Capello.

Segundo Capello, o Agente Local de Inovação (ALI) tem a missão de visitar as empresas, fazer um diagnóstico de problemas e necessidades de melhorias e, junto com o empresário, elaborar um planejamento para implantar as mudanças. Os negócios são acompanhados de perto por um período de 30 meses, sem custos.

No Norte Pioneiro, este trabalho é feito por Lincoln Fernando Ramalho. Ele conta que, além das visitas presenciais a cada 60 dias, em média, ele também orienta os empresários remotamente, via aplicativo de mensagens instantâneas e nas redes sociais.

O ciclo atual de trabalho, segundo ele, vai até maio de 2019. Entre as empresas atendidas estão produtores de sucos, massas, leite, mel, torrefação de cafés. Segundo Ramalho, muitas empresas precisam de suporte para adequar os processos e a gestão de acordo com a realidade e as exigências atuais do mercado.

“Estamos muito focados em colocar as empresas no Selo Alimentos do Paraná, oito delas, atendidas pelo projeto, já vão chamar auditoria para a certificação”, conta Ramalho. Para isso, elas implementaram diversas mudanças internamente, entre elas a padronização de processos.

A Laticínios Katyara conquistou o selo em 2017 e já vem colhendo os resultados. O sócio-proprietário e responsável técnico da empresa, com sede em Bandeirantes, Tarcísio Pereira Estevão, diz que a assessoria do Sebrae/PR por meio do ALI tem sido muito importante para a inovação nos produtos, criação de nova embalagem, controle nos processos.

“Fizemos muitas mudanças na empresa, principalmente na administração e divulgação”, conta. A certificação, segundo ele, abriu muitas portas e novos negócios. “O selo dá outra visibilidade para o negócio”, afirma Estevão.

Para o proprietário da Soeto Alimentos, Josmar Bagatin, o projeto mostra outras oportunidades de negócios. “Decidimos inovar com o lançamento de novos produtos para o consumidor final”, conta. Até então, a empresa fornecia apenas para indústrias e restaurantes.

Com subsídio do Sebraetec, a Soeto investiu no desenvolvimento de novas embalagens, mais adequadas para a comercialização nos supermercados. E a aposta foi bem-sucedida. “Encomendamos uma pesquisa de mercado que mostrou que 90% dos consumidores aprovaram o nosso produto e 63% o comprariam de imediato só pela embalagem”, comemora Bagatin.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber