Paraná

Projeto quer garantir a conservação dos parques estaduais

Da Redação ·
iniciativa do Governo do Estado visa garantir a conservação da natureza nessas áreas. Foto: Assessoria
iniciativa do Governo do Estado visa garantir a conservação da natureza nessas áreas. Foto: Assessoria

Encerrou esta semana o prazo para apresentação dos projetos e estudos de viabilidade relativos a novos modelos de gestão das unidades de conservação (UC’s) no estado do Paraná. Trata-se do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) do Projeto Parques do Paraná, iniciativa do Governo do Estado que visa garantir a conservação da natureza nessas áreas, ampliação do número de visitantes nos parques e a geração de emprego e renda às populações do entorno. 

continua após publicidade

As empresas inscritas receberam, em março deste ano, autorização do governo para realização dos estudos relativos aos parques estaduais do Monge, na Lapa; de Vila Velha, em Ponta Grossa, e Guartelá, em Tibagi, com prazo de 180 dias para conclusão.

Com base nos estudos apresentados será definido o modelo e elaborado edital de licitação para concessão da administração dessas UC’s para a iniciativa privada. O evento contou com a presença de uma comissão formada por membros da SEMA, IAP, Secretaria do Planejamento e da Coordenadoria de Concessões e Parcerias da Casa Civil, além de representantes das empresas interessadas.

continua após publicidade

Segundo o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti, o projeto é importante não somente para a preservação da biodiversidade nas unidades de conservação do estado, mas também para a melhoria da infraestrutura e da qualidade de vida da população. “O objetivo é aumentar a eficiência na administração dos parques, oferecer maior qualidade nos serviços prestados à população, melhorar a infraestrutura nas Unidades e promover incremento na economia dos municípios da região de influência, gerando emprego e renda para a população”, afirma Bonetti.

“O Projeto Parques do Paraná desonerará o Estado das tarefas administrativas de manutenção dos parques, além de trazer várias melhorias nos serviços, aumentando a demanda de público e potencializando o turismo ambiental. Com a oferta de mais serviços e mais atendimentos, com melhor qualidade e explorando o potencial turístico dos parques, os principais beneficiados serão os visitantes”, afirmou Juraci Barbosa, secretário do Planejamento e Coordenação Geral.

“De posse dos estudos de viabilidade técnico-operacional, econômico-financeira e jurídico-institucional apresentados, cabe agora aos técnicos das instituições envolvidas avaliar os projetos, decidir qual deles melhor se enquadra nas exigências e elaborar o edital de licitação”, explicou Maira Cardoso Faria Moraes, coordenadora substituta de Biodiversidade e Florestas da SEMA.

continua após publicidade

PARQUES DO PARANÁ
O Projeto Parques do Paraná é uma iniciativa do Governo do Paraná, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, que tem como objetivo a inovação na gestão nas unidades de conservação do Estado, através do fomento à atividade turística sustentável.

Os princípios norteadores das ações são a conservação da natureza nas áreas, a melhoria da infraestrutura dos parques e do entorno, o envolvimento da população de municípios vizinhos, estímulo ao empreendedorismo e a geração de empregos.

O projeto abrange outras Unidades de Conservação e que não foram contempladas nesta fase. São eles o parque do Pico Marumbi, em Morretes; Serra da Baitaca, na Região Metropolitana de Curitiba; Lago Azul, em Campo Mourão, São Camilo, em Toledo; Rio da Onça, em Matinhos; Ilha do Mel, em Paranaguá; Cerrado, em Jaguariaíva; Campinhos, em Tunas do Paraná; Amaporã, em Amaporã, e Mata dos Godoy, em Londrina.

continua após publicidade

“A gente só preserva aquilo que a gente conhece. Por isso, é importante trazer parceiros para nossas Unidades de Conservação de maneira que possamos chamar as pessoas para participarem da preservação desses locais tão belos”, afirma o presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

“A ideia é que os projetos contribuam com o IAP no trabalho para conservação dessas áreas, mas também insira a sociedade nelas, promovendo o lazer e o turismo responsável”, esclarece o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do IAP, Guilherme Vaconcellos.