OLD_Empregos

Pesquisa aponta que 82% dos brasileiros aceitariam cargo inferior ao último

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Pesquisa aponta que 82% dos brasileiros aceitariam cargo inferior ao último
Pesquisa aponta que 82% dos brasileiros aceitariam cargo inferior ao último

Uma pesquisa aponta que 82% dos profissionais brasileiros estão abrindo mão de cargos e salários em busca de uma recolocação profissional e mais de 30% deles omitiram ou omitiriam qualificações do currículo para concorrerem a vagas inferiores. O levantamento foi realizado pela empresa de recrutamento Catho.

continua após publicidade

O estudo mostra que a recessão no mercado afetou os brasileiros de maneira geral, até mesmo aqueles que são considerados qualificados demais. O levantamento aponta que  82% dos entrevistados já aceitaram ou aceitariam um cargo abaixo do seu último emprego. Apenas 17.54% disseram que não.

A pesquisa perguntou também se o entrevistado já omitiu ou omitiria algumas qualificações para poder concorrer a vagas inferiores à sua experiência. O resultado mostrou que 30.56% disseram que sim e 69.44% afirmaram que não.

continua após publicidade

E se por um lado os profissionais aceitariam essas vagas inferiores, por outro, mais de 54% dos empregadores não estão dispostos a dar uma vaga a um profissional mais qualificado do que o exigido.

Essa preocupação por parte do candidato se faz necessária, pois ninguém quer entrar em uma nova empresa contando os dias para sair, seja por conta de remuneração e benefícios inferiores, seja pela frustração decorrente da impossibilidade de aplicar todas competências profissionais no novo trabalho. O mesmo acontece com o recrutador: ele não quer correr o risco de ter um funcionário que pode ficar no trabalho até achar algo melhor.

A pesquisa identificou também que 29% dos profissionais acreditam que perderam oportunidades por ter um currículo superior à vaga que estavam concorrendo. Da parte dos recrutadores, 51% afirmaram que já precisaram baixar as exigências de uma vaga para encontrar um profissional.

continua após publicidade

Além disso, os profissionais de RH indicam que os candidatos devem procurar orientação especializada, a começar pelo currículo que – bem feito – fará toda a diferença. Atualmente, os recrutadores levam de 30 a 40 segundos para analisar um currículo recebido. Logo, para ser a chave de um convite para uma entrevista, ele tem de ser objetivo e atraente. 

(Banda B)