Mais lidas
Maringá

Definido novo terreno para parque biotecnológico do Tecpar em Maringá

.

Tecpar definiu, junto com a prefeitura área onde será construído o mais novo parque biotecnológico. Foto: Assessoria
Tecpar definiu, junto com a prefeitura área onde será construído o mais novo parque biotecnológico. Foto: Assessoria

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) definiu, junto com a Prefeitura de Maringá, a área onde será construído o mais novo parque biotecnológico do instituto. O terreno, localizado na Avenida Arquiteto Nildo Ribeiro da Rocha, tem uma área de aproximadamente 70 mil metros quadrados e será doado pelo município e o antigo espaço, no Parque Industrial, será transferido novamente para o poder municipal. 

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, que esteve no Tecpar na tarde de sexta-feira (17) para apresentar a proposta à diretoria executiva da empresa. Ele afirmou que, com a definição da área, vai enviar um projeto de lei para a Câmara Municipal propondo efetuar a transferência do espaço ao Tecpar.O atual terreno do Tecpar, que já havia sido doado pela prefeitura, tem 100 mil metros quadrados, mas ainda não conta com a infraestrutura necessária para abrigar as instalações do novo parque. “Como sabemos da urgência que o Tecpar tem para começar as obras, oferecemos um terreno com a infraestrutura necessária para elas começarem imediatamente”, explica o prefeito.

Maia ressalta ainda que a solução foi encontrada para manter na cidade investimentos que vão transformar o município em um polo farmacêutico e biotecnológico. “Fazemos esse esforço para garantir que sejam gerados empregos qualificados em Maringá e que a nossa arrecadação continue crescendo”, justifica.O diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, reafirmou o compromisso do instituto em construir em Maringá o novo parque biotecnológico da empresa. “Estamos na cidade há quase 30 anos e pretendemos reforçar ainda mais os laços com o município”, ressalta.

Medicamentos e vacinas
A princípio, o Tecpar vai construir uma fábrica de finalização de medicamentos e vacinas, que vai dar suporte à produção da vacina antirrábica, já produzida pelo instituto, e aos demais medicamentos biológicos que serão produzidos. A unidade de fill and finish tem como objetivo realizar a formulação, envase, embalagem e armazenamento de medicamentos injetáveis produzidos pelo instituto. Nos próximos anos, novas plantas biológicas serão instaladas no local. 

A produção desses medicamentos biológicos pelo Tecpar deve gerar pelo menos 250 empregos diretos e qualificados, além de envolver mestres e doutores para auxiliar no desenvolvimento dos novos produtos.O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá, José Carlos Valêncio, destaca o esforço da comunidade empresarial da cidade para atrair o parque biotecnológico Tecpar para o município. 

“Esse centro de tecnologia vai gerar empregos e absorver mão-de-obra qualificada na área da saúde. Por isso estamos apoiando a prefeitura para oferecer a melhor solução para o Tecpar”, afirma.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber