Mais lidas

    Londrina

    Londrina

    PM está preparada de Londrina para retirar estudantes

    Escrito por DA REDAÇÃO
    Publicado em 08.11.2016, 13:26:00 Editado em 09.11.2016, 06:53:27
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Policiais militares já preparados para cumprir mandado de reintegração de posse na Câmara de Vereadores de Londrina (norte do Paraná), após ocupação de estudantes secundaristas ocorrida na última sexta-feira (4). Os alunos protestam contra reformas no ensino médio propostas pelo governo federal. Diante da impossibilidade de retomar os trabalhos legislativos na tarde de segunda-feira (7) como ficou definido após negociação com os manifestantes, a Mesa Executiva do decidiu entrar na Justiça com pedido de reintegração de posse do prédio, com pedido de liminar. 

    O pedido foi acatado pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública, Marcos José Vieira, que deferiu a liminar favorável à Câmara Municipal de Londrina (CML) no final da tarde de segunda (7). Conforme o procurador jurídico do Legislativo, Miguel Aranega Garcia, a decisão judicial deveria ser cumprida na manhã desta terça-feira (8), mas acabou ficando para o período da tarde. A multa diária em caso de descumprimento foi fixada em R$ 5 mil. 

    A decisão pela reintegração de posse do Legislativo foi tomada às 15h de segunda (7), depois que os manifestantes anunciaram que não desocupariam a sede da Câmara de Vereadores, sob o argumento de que a negociação feita na sexta não representava a vontade do grupo. Ainda segundo Aranega, no pedido de retomada do prédio encaminhado ao Judiciário, a direção da Casa solicitou que a reintegração de posse fosse acompanhada por representantes do Conselho Tutelar, Vara da Infância e Juventude e Ministério Público. 

    Decisão frustrou presidente
    O presidente da Câmara, Professor Fabinho (PPS), afirmou que a decisão dos estudantes de não cumprir o acordo frustrou quem acreditava na desocupação. "Reconhecemos que são jovens que lutam por algo muito importante, que é a educação do País, mas eles deveriam ter a noção de que palavra dada é palavra cumprida." O vereador acrescentou ainda os prejuízos que o Legislativo vem contabilizando desde a última sexta-feira, quando foram canceladas uma reunião pública com diretores da Sercomtel Iluminação e uma sessão solene com cerca de 300 convidados. 

    Isenção de taxa para concurso 
    Hoje seria iniciado o prazo de três dias para candidatos desempregados apresentarem a documentação e requerer isenção do pagamento da taxa de inscrição do concurso público da Câmara, agendado para janeiro de 2017. No total serão 15 vagas para profissionais de nível médio e superior. 

    De acordo com o gerente de Recursos Humanos do Legislativo, Maurício Araújo - que permaneceu de plantão durante esta segunda-feira em frente ao prédio da Câmara -, até o início da tarde cerca de 200 pessoas procuraram a sede do Legislativo com o objetivo de obter a isenção da taxa. Várias destas pessoas eram de outros municípios e viajaram a Londrina somente com este objetivo. 

    Diante da paralisação dos trabalhos em decorrência da ocupação do prédio, o gerente de Recursos Humanos e a Coordenadoria de Processos Seletivos da Universidade Estadual de Londrina (Cops/UEL) – esta última responsável pela organização do concurso – decidiram agendar novo período para apresentação de documentação por parte dos candidatos desempregados. A nova data será agendada oportunamente. 

    Com informações do portal Bonde

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Londrina

    Deixe seu comentário sobre: "PM está preparada de Londrina para retirar estudantes"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.