Londrina

Índios e moradores de Tamarana protestam defronte ao MP em Londrina

Da Redação ·
Imagem - Reprodução
Imagem - Reprodução

Moradores e índios da aldeia Água Branca de Tamarana, na região norte do Paraná, fizeram um ato de protesto nesta quarta-feira (26) em frente à sede do Ministério Público do Paraná (MP-PR), em Londrina. Os manifestantes cobram mais agilidade no julgamento de processos contra um ex-prefeito do município. Beto Siena é acusado de envolvimento em um esquema de corrupção descoberto em 2011, quando ele era chefe do Executivo Municipal. 

continua após publicidade

Moradores de Tamarana e índios levaram cartazes com pedidos de combate à corrupção e dançaram defronte a promotoria. Beto Siena foi candidato a prefeito na última eleição porque é considerado ficha limpa, pois não tem condenações definitivas nos processos em andamento. "Há quase dois anos que o processo está parado e a gente não tem uma resposta", afirmou um manifestante.

Em 2011, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) recolheu documentos na prefeitura e casas de Tamarana.  Foram propostas quatro ações por supostas irregularidades em contratos de transporte, alimentação, limpeza pública e saúde. Conforme a promotoria, Beto Siena teria comandado o desvio de R$ 7 milhões.

continua após publicidade

NENHUMA ILEGIBILIDADE
O advogado de Beto Siena, Guilherme Gonçalves, informou que processos contra seu cliente não causou nenhuma ilegibilidade, tanto que a candidatura não foi impugnada. Ele afirmou que os processos ainda estão em apreciação no Tribunal de Justiça (TJ), e que naqueles em que ele foi condenado em primeiro grau, se constatou apenas atos que não seguiram o que a lei previa, mas não havia nenhuma forma de desvio de recursos ou enriquecimento ilícito por parte do prefeito eleito.

Com informações do G1