Mais lidas

    Londrina

    Londrina

    Gaeco indicia 55 donos de postos por formação de cartel em Londrina

    Foto: Reprodução/imagem ilustrativa
    Foto por Reprodução
    Escrito por DA REDAÇÃO
    Publicado em 23.09.2016, 16:24:00 Editado em 24.09.2016, 06:57:46
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ligado ao Ministério Público (MP) do Paraná, confirmou na tarde desta sexta-feira (23), que indiciou 55 donos de postos de combustíveis em Londrina, no norte do Estado, por formação de cartel. 

    De acordo com o Gaeco, os empresários são suspeitos de combinar os preços da gasolina e álcool, prática essa proibida por lei. As investigações do Ministério Público do Paraná (MP-PR) começaram após reajustes de preços em 2015. Na época, os valores dos litros dos combustíveis em Londrina estavam entre os mais caros do estado. 

    A partir da constatação, o Gaeco e o Procon-PR intensificaram as fiscalizações nos postos e começaram a recolher notas fiscais. A análise dos documentos indicou que muitos reajustes seriam combinados - um grupo de empresários determinaria o preço que os outros deveriam cobrar. 

    Um dos reajustes que mais chamou a atenção foi em março de 2016, quando alguns estabelecimentos chegaram a registrar um aumento de 11% sem que houvesse qualquer tipo de justificativa.

    UNIÃO ILEGAL
    Gaeco chegou à conclusão de que o grupo de 55 empresários se uniu para aumentar o lucro e eliminar a concorrência. A pena para os condenados pelo crime de formação de cartel é de até cinco anos de prisão.

    Com informações da RPC/G1

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Londrina

    Deixe seu comentário sobre: "Gaeco indicia 55 donos de postos por formação de cartel em Londrina"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.