Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Com clima familiar e fila, russos votam em São Paulo

.

BRUNO BENEVIDES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Enquanto crianças brincam de pega-pega no jardim,  os pais tomam café e conversam em voz alta enquanto aguardam para participar da eleição que definirá o próximo presidente da Rússia.   

A cena se repetiu durante todo este domingo (18) na casa onde fica a sede do consulado russo em São Paulo, no Jardim Everest, zona oeste.

A maior parte dos eleitores disse que decidiu deixar de lado o dia de sol e comparecer a votação por uma questão de patriotismo. "Quem não vier votar, acho que vai acordar se sentindo muito mal amanhã", disse Dmitri Gitman, professor de física na USP, vestido com uma camiseta com o brasão do país. 

O professor de física Dimitri Gitman vota no consulado russo em São PauloNelson Antoine/FolhapresO professor de física Dimitri Gitman vota no consulado russo em São Paulo   Antes que ele terminasse a frase, porém, é interrompido por Svetlana Ignatenko, 61. "Todos aqui vão dizer isso, amamos a Rússia", afirmou ela, que é só elogios ao presidente Vladimir Putin, favorito à reeleição. "Ele é o melhor presidente do mundo porque conversa com o povo". 

Vivendo no Brasil há 18 anos, ela vê apenas um problema no atual líder. "Em 20 anos ele vai fazer da Rússia o melhor país do mundo e aí meu coração vai ficar dividido de onde devo morar."

Mesmo quem não é fã do presidente russo concorda com Svetlana que necessário votar, como é o caso de Irina Kaleda, 31. "É importante mostrar que nem todo mundo concorda com Putin", disse ela, vivendo no Brasil há nove anos. 

"Vim garantir que ninguém vai mexer no meu voto", completou, em referência às diversas denúncias de fraude feitas pela oposição --o consulado de São Paulo disse não ter recebido nenhuma acusação do tipo.   

O pesquisador Roman Spirin, 31, há seis anos no Brasil, disse não acreditar que a votação seja manipulada. "Se não confiasse no sistema, não teria aparecido para votar", afirmou.  

Até o meio-dia, Roman tinha sido uma das 70 pessoas que depositaram seu voto na urna transparente no saguão principal do consulado. Na sala anterior, quem esperava tinha ao seu dispor café, água com gás, biscoito com chocolate e uma TV que transmitia em russo os detalhes da votação.  

Segundo o cônsul Yuri Legintsev, a fila para votar é algo inédito na cidade. "Já superamos o total de votos da última eleição legislativa, em 2016", disse ele, que estima que 2.500 russos vivam atualmente na Grande São Paulo.  




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber