Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Roteiro frágil em 'De Volta' prejudica drama sobre cicatrizes da guerra civil libanesa

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em seu primeiro longa-metragem de ficção, a libanesa Jihane Chouaib discute um assunto do qual seus compatriotas não podem escapar: os traumas da longa guerra civil (1975-1990) que devastou o país. A questão central é a dolorosa relação entre memória e esquecimento ligados ao conflito.

Exilada há muito tempo na França, a jovem Nada (Golshifteh Farahani) retorna ao povoado natal no Líbano e se instala no casarão da família, onde passou a infância, que está abandonado e quase em ruínas. Ela volta com um propósito: descobrir o que aconteceu com o avô, desaparecido misteriosamente durante a guerra civil, quando ela era criança.

A família -com a qual ela pouco se relaciona- e os habitantes do lugar, reprovam a iniciativa, pois escolheram o silêncio para evitar lidar com o sentimento de culpa. Seu irmão Samir (Maximilien Seweryn), que também vive no exterior, não demora a voltar, mas com intenções muito diferentes: vender a casa.

Nada dedica seu tempo a investigar. Conversa com uma tia, com alguns moradores do vilarejo, mas não arranca nada. O reencontro com a casa desperta recordações da infância e do avô, apresentados em flashbacks e sonhos.

Presa às próprias lembranças e a um passado que mitifica -o avô seria um herói de guerra. Nada tenta montar esse quebra-cabeça. Mas ela não tem elementos para fazer a investigação avançar, para desenterrar o silencio em torno do avô. Mesmo quando um miliciano lhe diz que o avô não era um santo, ela tampouco consegue verificar a informação.

Assim como a busca, a narrativa, também não avança, parece girar constantemente em falso. Quando Nada e o irmão partem para o sul com a intenção de seguir uma nova pista, a expectativa acaba se frustrando.

Não há dúvida que o ponto de partida é bastante interessante, mas as fragilidades do roteiro de Chouaib -estático e demonstrativo demais- impedem que o espectador se interesse pela busca.

Em meio a essa esterilidade, o casarão da família -com sua montanha de lixo no que um dia foi o jardim, suas paredes com marcas de balas, restos de sangue e cobertas por desenhos feitos pela jovem quando era criança- representa com muito mais eloquência do que a narrativa em si o peso do passado, suas glórias, misérias e enigmas.

DE VOLTA (GO HOME)

ELENCO Golshifteh Farahani, Maximilien Seweryn, François Nour, Mireille Maalouf

PRODUÇÃO França, Suíça, Bélgica, 2015, 14 anos

DIREÇÃO Jihane Chouaib

AVALIAÇÃO regular

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber