Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Natura Musical ajudará a gerir carreira de artistas patrocinados em edital

.

AMANDA NOGUEIRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Natura Musical divulgou no sábado (3) a criação de sua aceleradora. Isto é, o programa de fomento à música brasileira passará, além de patrocinar, a mentorear artistas, bandas e festivais que forem contemplados em seu edital.

O anúncio foi feito durante a oitava edição do Porto Musical, realizado em Recife, entre quinta (1º) e sábado (3), com patrocínio do programa.

Segundo Fernanda Paiva, gerente de marketing institucional da Natura, a iniciativa surgiu a partir de um "diagnóstico sobre o papel da empresa na cadeia da música".

Ela afirma que consideraram lançar um selo, uma gravadora e até mesmo um novo festival, mas que buscavam resultados "mais perenes".

"Pensamos o quanto estávamos construindo uma relação paternalista de gerar valor a partir apenas pelo financiamento, e que muitas vezes isso não gerava impacto no desenvolvimento do artista, de sua carreira ou do setor. Se um dia a Natura parar de financiar, qual o legado que a gente deixou?".

A ferramenta contará com os serviços da aceleradora Rizoma, recém-fundada pelos produtores musicais Iuri Freiberger e Veronica Pessoa. A Natura não divulga o orçamento dedicado à ação.

Pessoa, conhecida por ser empresária de Marcelo Jeneci, cita a formação de público como a principal dificuldade dos artistas, além do financiamento de projetos.

"Quando faço um show, não estou competindo somente com outros artistas, mas com a Netflix, com a novela da Globo e outros estímulos", diz a produtora.

Para ela, um dos trabalhos da mentoria é fazer "a música do artista cruzar o caminho do ouvinte muitas vezes para que seja absorvida". "Um cara acorda, lê uma matéria sobre o artista no jornal, ouve a música dele no rádio, depois vê nas redes sociais e fica sabendo que um amigo dele vai ao show", exemplifica.

Segundo Paiva, a ideia é que a aceleradora não fique restrita aos artistas selecionados pelo edital e que, no futuro, outros possam usufruir das ferramentas aplicadas, gerando uma rede capacitada e autônoma.

MUDANÇAS NO EDITAL

No ano passado, a Natura Musical divulgou mudanças em seu edital de patrocínio para 2018. Além de artistas e bandas, o programa passou a financiar festivais a partir da seleção de uma curadoria.

O edital, aberto em julho, recebeu 1.618 propostas, e foram contemplados 21 projetos. Ao todo, o programa se vale de um montante de R$ 5,6 milhões captados via Lei Rouanet, leis de incentivo fiscal estaduais e recursos próprios.

Entre os eleitos, estão artistas consagrados, como o músico carioca Jards Macalé, e novatos, como a cantora baiana Luedji Luna, além de festivais como o Bananada (GO).

Com as novas regras, músicos passaram a ser avaliados pela capacidade de articulação com a rede de fãs e novos públicos. O critério tende a privilegiar artistas que conseguiram sair da fase inicial por conta própria.

A última das alterações tem cunho estético e político. Antes o programa priorizava um recorte "raiz antena" -músicas que renovam tradições regionais com influências contemporâneas.

Reformulado, passou a destacar também o "amplificador de frequência", ou seja, artistas com capacidade de se posicionar sobre assuntos do momento.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber