Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Geral

Macaco morto por febre amarela fecha zoológico e Jardim Botânico de SP

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A secretaria de Saúde da gestão Alckmin (PSDB) decidiu fechar, a partir desta terça-feira (23), o zoológico de São Paulo, o Zoo Safári e o Jardim Botânico -todos localizados na zona sul. A medida foi anunciada após um macaco bugio ter sido achado morto na região do zoológico. Exames feitos no primata constataram que ele morreu por febre amarela.

Em nota, o zoológico informou que o bugio morto por febre amarela vivia livre numa área do parque, que possui 824 mil metros quadrados de floresta remanescente da mata atlântica.

O fechamento dos equipamentos é preventiva e temporária, informou a pasta da saúde. Simultaneamente, mais quatro distritos da zona sul foram incluídos na campanha emergencial de vacinação, que começará nesta quinta-feira (25) no Estado. São eles: Jabaquara, Cidade Ademar, Cursino e Sacomã.

Os distritos de Campo Limpo, Capão Redondo, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luís, Pedreira, Socorro e Vila Andrade, na zona sul; e Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianazes, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael, na leste, já estavam no mapa de vacinação contra febre amarela na cidade.

O zoológico de São Paulo foi aberto em 1958 e de lá para cá já recebeu 85 milhões de visitantes. O parque aloja nascentes do histórico riacho do Ipiranga e exibe mais de 3.000 animais, entre mamíferos, aves, répteis, anfíbios e invertebrados.

Em outubro do ano passado, o Horto Florestal e o parque da Cantareira, ambos na zona norte, e o parque Ecológico do Tietê, na zona leste, foram fechados após confirmação da morte de macacos por febre amarela silvestre em suas áreas.

No dia 10 deste mês, os três parques foram reabertos, segundo a secretaria de saúde do governo Alckmin (PSDB), após estratégias de vacinação em bairros de seus entornos. Todas as 17 famílias de bugios do Horto foram exterminadas.

No entanto, para visitar os parques da capital paulista que foram reabertos com segurança, é preciso ter tomado a vacina contra a febre amarela ao menos dez dias antes.

CAMPANHA EMERGENCIAL

O Estado de São Paulo vai receber 6,3 milhões de doses fracionadas e 2 milhões da padrão por conta da campanha emergencial que será iniciada na quinta-feira (25). Desde o início de 2017, o Estado já registrou 81 casos da doença, sendo que 36 evoluíram a óbito.

A capital paulista não registrou nenhum caso contraído na cidade. As cidades campeãs são: Mairiporã, com 41 casos e 14 mortes; Atibaia, com nove casos e oito mortes; e Amparo, com cinco casos e três mortes.

No último dia 16, a OMS (Organização Mundial da Saúde) incluiu todo o Estado no mapa de risco de febre amarela e recomendou a vacinação de viajantes internacionais com destino a qualquer município paulista, seja em área urbana ou de mata.

Além de São Paulo, o Estado do Rio de Janeiro também antecipou para esta quinta a campanha emergencial de vacinação contra a febre amarela. O Estado deverá imunizar 7,7 milhões de pessoas com as doses fracionadas e outras 2,4 milhões com a padrão, em 15 municípios.

Apenas a Bahia manterá a campanha entre 19 de fevereiro e 9 de março em oito cidades, incluindo Salvador.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber