Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Em resposta a Kelly, Trump diz que não mudou de ideia sobre muro

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente americano Donald Trump disse nesta quinta-feira (18) que não mudou de ideia sobre o muro que ele quer construir na fronteira com o México.

A declaração é uma resposta à informação divulgada na quarta (17) pelo jornal "Washington Post" de que o próprio chefe de gabinete de Trump, John kelly, teria dito que o presidente estava "mal informado" quando prometeu criar uma barreira física entre os dois países, mas ele já teria "evoluído" desde a campanha.

"O muro é o muro, ele nunca mudou ou evoluiu desde o primeiro dia que concebi isso", escreveu Trump em uma rede social.

Para Kelly, a proposta de construir um muro de ponta a ponta na fronteira é praticamente impossível.

Trump, porém, discordou publicamente do general. "Nunca foi a intenção construir [o muro] em áreas em que há uma proteção natural, como montanhas, campos ou rios e águas de difícil acesso", disse o presidente.

Ele também voltou a dizer que pretende fazer o país vizinho pagar pela barreira. "O muro será pago direta ou indiretamente, ou por um reembolso a longo prazo, pelo México, que tem um ridículo superávit comercial de US$ 71 bilhões com os EUA", disse ele. "O muro de US$ 20 bilhões é uma 'mixaria' comparado com o que o México ganha dos EUA".

Durante o encontro com parlamentares na quarta, Kelly, um dos representantes da ala mais moderada do governo, teria dito a democratas que não acreditava ser possível cobrar do governo mexicano o dinheiro para financiar a construção do muro.

A barreira é uma das principais promessas de campanha de Trump, que tinha como um de seus maiores bordões durante a campanha a frase "América em primeiro lugar". Ele defende que o muro vai ajudar a controlar a imigração ilegal, a criminalidade e o tráfico de drogas e armas. Nesta quinta, ele disse que, inclusive, que o México é o "país mais perigoso do mundo".

Pouco após as afirmações de Trump, o governo mexicano respondeu dizendo que, apesar de enfrentar uma crise de violência, o país não é o mais perigoso do mundo.

O México também voltou a dizer que não vai pagar pelo muro em nenhuma hipótese.

O debate acontece em um momento que o republicano Trump tenta negociar com os democratas um acordo para garantir US$ 18 bilhões (R$ 57,8 bilhões) no orçamento federal para financiar a construção do muro.

Em troca, o presidente estaria disposto a aceitar um plano que garanta a permanência nos Estados Unidos dos "dreamers" (sonhadores), como são chamados os imigrantes que chegaram ao país quando ainda eram crianças.

A permanência deles nos EUA está sob risco depois que Trump revogou o programa que garantia seu status legal.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber