Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Geral

Polícia estuda acusar mil por postar pornografia infantil na Dinamarca

.

DIOGO BERCITO

MADRI, ESPANHA (FOLHAPRESS) - A polícia dinamarquesa estuda acusar 1.004 pessoas por compartilhar pornografia infantil via Facebook, no maior caso desse tipo no país.

As autoridades detalharam as investigações na segunda (15) afirmando que dois vídeos foram enviados por meio da plataforma de mensagens da rede social. As gravações, uma com 50 segundos e outra com nove, mostram jovens de 15 anos em relações sexuais. Pode haver mais acusados.

O sexo consentido entre jovens de 15 anos não é um crime na Dinamarca, mas distribuir pornografia de menores, sim. A garota envolvida no ato sexual disse que não deu seu consentimento para que o vídeo fosse gravado.

As imagens foram registradas por amigos do casal durante uma festa. O material circulou entre 2015 e 2017.

Após receber a denúncia, o Facebook acionou as autoridades americanas. O caso passou em seguida à polícia europeia, que então notificou as forças dinamarquesas.

A maior parte dos investigados tem menos de 25 anos. Eles foram identificados por meio de redes sociais e de seus endereços virtuais. No caso dos menores que compartilharam os vídeos, incluindo aqueles de 15 anos, os pais foram notificados.

As defesas argumentam que, quando receberam e repassaram os vídeos via Facebook, os usuários não tinham como saber que eles eram protagonizados por menores.

Por outro lado, a Dinamarca vem discutindo nos últimos anos as implicações de distribuir pornografia sem o consentimento dos envolvidos. As autoridades, portanto, devem argumentar que os responsáveis -ainda que jovens- estavam cientes de que haveria consequências para as suas ações.

A Justiça ainda precisa decidir se levará o caso a julgamento após as investigações policiais, de acordo com o "New York Times".

Mesmo se forem condenados, os jovens não devem ser presos. Ainda assim, terão o registro em suas fichas criminais por dez anos, impossibilitando que ocupem cargos na polícia, por exemplo. Eles tampouco poderão exercer uma série de trabalhos que envolvam o trato com crianças.

Há casos semelhantes em outros países. Nos Estados Unidos, três estudantes foram detidos em 2016 e acusados de circular imagens explícitas de colegas. Em outra situação, jovens foram acusados de compartilhar os seus próprios vídeos íntimos e fotografias.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber