Mais lidas
Geral

Atirador morava em condomínio para aposentados e gostava de apostas

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Stephen Paddock tinha 64 anos, morava em um condomínio para aposentados e gostava de jogos de apostas.

Na última quinta-feira (28), ele percorreu os 120 km entre Mesquite e Las Vegas e se hospedou em um quarto no 32º andar do hotel Mandalay Bay, na Las Vegas Strip, principal rua da cidade.

No domingo (1º), por volta das 22h (horário local, 2h de segunda-feira em Brasília), enquanto o cantor country Jason Aldean se apresentava no festival a céu aberto Route 91 Harvest, ele foi até a janela de seu quarto e começou a atirar na multidão.

Paddock se matou antes de ser encontrado pela polícia.

Ao menos 58 pessoas morreram e 515 ficaram feridas.

Seu irmão, Eric Paddock, o descreveu como "um cara bem de vida que gostava de jogar vídeo pôquer e de viajar em cruzeiros".

Ele disse que a família ficou "perplexa" com os atos de Stephen. "Ele nunca sacou sua arma, não faz o menor sentido" disse. Ele contou que seu irmão tinha algumas pistolas, talvez um rifle, "mas nenhuma arma automática".

Pelo menos oito armas, incluindo alguns fuzis, foram encontradas no quarto do hotel.

Perguntado sobre a última vez que tinha falado com Stephen, Eric disse que eles trocaram mensagens no mês passado, quando a cidade de Orlando, onde Eric mora, teve blecautes de energia devido à passagem do furacão Irma.

Ao jornal "Orlando Sentinel", Eric contou que ajudou Stephen há dois anos atrás a trocar a Flórida pelo Estado de Nevada, onde jogos de azar são legalizados, para que ele pudesse jogar mais pôquer.

Sharon Judy, que foi vizinha de Stephen quando ele ainda morava na Flórida, disse ao jornal que ele era um homem amigável que se descreveu como um apostador profissional. Stephen teria lhe mostrado uma foto na qual aparecia ganhando US$ 20 mil em um caça-níqueis.

Segundo a emissora NBC, Paddock fez diversas apostas nas últimas semanas, cujos valores chegam a dezenas de milhares de dólares —mas não se sabe se ele ganhou ou perdeu.

Ele não tinha nenhuma passagem pela polícia, a não ser uma infração de trânsito, segundo a polícia de Las Vegas.

Em sua casa foram encontradas algumas armas e munições, o que foi considerado normal pelos policiais, uma vez que o porte de armas é legalizado no Estado e bastante frequente.

"É uma casa bonita, limpa, não tem nada fora do comum" disse Quinn Averett, porta-voz da polícia de Mesquite, onde se localiza o condomínio em que Paddock morava.

Após o ataque, foi lançada uma busca por Marilou Danley, que foi tratada como "pessoa de interesse" pelos investigadores. Mais tarde revelou-se que ela morava com Paddock no condomínio de aposentados em Mesquite e que estava fora do país no momento do tiroteio. Após interrogá-la, a polícia confirmou que ela não teve nenhum envolvimento.

Marilou se descreveu como uma "profissional dos cassinos", além de mãe e avó, em redes sociais.

O pai de Stephen e Eric era Patrick Benjamin Paddock, um famoso e violento ladrão de bancos. Nos anos 60, Patrick tentou atropelar um agente do FBI.

Em 1968, escapou de uma prisão federal no Texas onde cumpria uma pena de 20 anos por uma série de roubos na cidade de Phoenix, no Estado do Arizona.

Stephen era um adolescente quando o pai apareceu em um pôster do FBI que dizia que o fugitivo tinha sido "diagnosticado como psicopata". O alerta de prisão de seu pai recomendava que ele fosse considerado "armado e muito perigoso".

Patrick Paddock chegou a figurar na lista dos dez criminosos mais procurados pelo FBI.

Eric disse que os irmãos não conheciam o pai, que morreu em 1998.

Stephen tinha uma licença de caça no Texas, Estado onde morou durante um tempo. Ele também tinha um brevê e ao menos um avião monomotor registrado em seu nome.

A milícia terrorista Estado Islâmico, que reivindicou responsabilidade pelo ataque, afirmou que Paddock tinha se convertido ao islamismo há alguns meses e se referiu a ele pelo nome de guerra "Abu Abd al-Bar al-Ameriki".

A informação não foi confirmada pelas autoridades americanas, que disseram não haver evidências ligando Paddock a qualquer grupo militante internacional.

O ataque em Las Vegas foi o mais grave ataque deste tipo na história moderna dos EUA.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber