Mais lidas
Geral

China diz que tensão na Coreia do Norte chegou a um 'ponto de inflexão'

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo da China disse nesta terça-feira (29) que a crise na península coreana chegou a um "ponto de inflexão" após o disparo de um míssil pela Coreia do Norte sobre o território do Japão.

Em declaração, a China pediu moderação a todas as partes envolvidas no conflito e reiterou seu pedido por negociações de paz na região.

Segundo os chineses, as pressões e sanções contra Pyongyang "não podem resolver o problema".

NOVO TESTE

De acordo com militares da Coreia do Sul, o projétil percorreu cerca de 2.700 km e alcançou uma altitude de 550 km, atravessando a ilha de Hokkaido. O artefato se desfez em três pedaços antes de cair no mar.

O sistema de alerta J-Alert, do governo japonês, aconselhou os moradores locais a tomarem precauções, mas a emissora pública NHK informou que não foram registrados danos a navios ou a qualquer outra estrutura.

Os militares japoneses não tentaram derrubar o míssil, que passou pelo território do país por volta de 6h06 locais (18h06 de segunda no horário de Brasília).

REAÇÕES

O premiê japonês, Shinzo Abe, classificou o episódio de "uma ameaça grave sem precedentes". Ele cobrou das Nações Unidas que amplie os mecanismos de pressão sobre o ditador Kim Jong-un para que Pyongyang suspenda seu programa militar.

Abe e o governo americano solicitaram a convocação de uma reunião do Conselho de Segurança, que deve acontecer na noite desta terça (29). Horas após o lançamento, a Coreia do Sul fez um exercício militar com mísseis em retaliação ao país vizinho.

O regime norte-coreano não comentou especificamente sobre o lançamento de mísseis, mas publicou uma mensagem desafiando os EUA no "Rodong Sinmun", seu jornal estatal.

"Os EUA precisam saber que nenhuma intimidação à República Democrática Popular da Coreia com sanções econômicas, ameaças militares e chantagens fará que a República Democrática Popular da Coreia retroceda do rumo que escolheu para si."

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber